Voo entre São Paulo e Montevidéu faz pouso de emergência no RS

Empresa e Infraero confirmam o incidente

Uma avião da LATAM que fazia a rota São Paulo-Montevidéu acionou a torre de comando do aeroporto internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, por volta da meia-noite de terça para quarta-feira (28) e solicitou apoio para a realização de um pouso de emergência. A Infraero confirmou o procedimento, mas não deu detalhes sobre o incidente.

O voo JJ8030 decolou de Guarulhos às 22h06 da terça-feira e deveria pousar em Montevidéu antes da meia-noite. A companhia informou que a aeronave, um Airbus A321, "alternou para o aeroporto de Porto Alegre e solicitou apoio durante o desembarque", realizado "seguindo os procedimentos de segurança".

Segundo comunicado da LATAM, todos os passageiros desembarcaram em segurança e estão recebendo a assistência necessária. O modelo de aeronave tem capacidade para 220 passageiros e o voo estava lotado.

Modelo de avião semelhante ao utilizado pela Latam para o voo JJ8030 (Crédito: Reprodução)
Modelo de avião semelhante ao utilizado pela Latam para o voo JJ8030 (Crédito: Reprodução)

As equipes de segurança do aeroporto em terra acompanharam o pouso de emergência, que foi motivado por um "indicativo de segurança" no computador de bordo da aeronave, não especificado pela empresa. Nesses casos, o procedimento padrão é de pouso imediato para verificação do problema técnico.

O operador de investimentos Daniel Croce, que mora em Montevidéu, relatou que o piloto da aeronave informou aos passageiros sobre um alarme de fumaça no compartimento de carga e que, por isso, seria necessário um pouso imprevisto em Porto Alegre. Segundo o passageiro, o pouso foi tranquilo e os bombeiros que atenderam a ocorrência chegaram rapidamente ao local.

Croce, que é paulistano e mora há um ano e meio na capital uruguaia, também disse que outros passageiros relataram ter ouvido duas pequenas explosões a bordo. "Fizemos um desembarque de emergência e não pudemos levar os pertences pessoais da aeronave. Mas, mesmo assim, tudo correu bem e não houve pânico", afirmou.

O maior desconforto foi no atendimento aos passageiros. Croce disse que não havia funcionários suficientes em terra para acomodar todos os passageiros em hotéis e que a Polícia Federal demorou mais de duas horas para liberar a aeronave. Ele e a noiva foram por conta própria para um hotel, perto de 4h desta madrugada.

Os passageiros foram transferidos para hotéis da cidade e foram realocados para o voo JJ9730, com frequência semanal entre Porto Alegre e Montevidéu. A partida está prevista para 16h30 desta quarta-feira.



Fonte: Com informações do Uol
logomarca do portal meionorte..com