Wellington investirá R$ 10 milhões em tecnologia de irrigação

Foram dois projetos conveniados para investimentos no Estado.

O governador Wellington Dias garantiu, nesta terça-feira (23), em Brasília, em convênio firmado com o ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, novos recursos para pequenos agricultores piauienses. Foram dois projetos conveniados que celebram a aplicação de cerca de R$ 4 milhões, via governo federal, e mais R$ 6 milhões do Tesouro do Estado dentro de programa de crédito com o Banco Mundial.

O objetivo das ações, como explica o governador, é garantir as condições do pequeno agricultor ampliar a produção com mais segurança.

“Com a equipe do ministério, nós celebramos dois importantes convênios. Um primeiro voltado para essa área da qualificação do pequeno agricultor. O objetivo é que a gente tenha uma agricultura tecnificada, com mais conhecimento e o agricultor dominando [o processo], onde ele dependa menos da assistência técnica, sem deixá-la de lado. É um convênio de 2,5 milhões de reais, com participação do Estado e do Ministério da Agricultura e um outro de 4 milhões de reais para distribuição de quites de irrigação”, informou Wellington.

De acordo com o ministério, a tecnologia de irrigação que será distribuída a produtores piauienses garante uma economia de até 60% do uso de água na lavoura, possibilitando o volume da mesma que será aplicado de acordo com as necessidades da planta trabalhada. A tecnologia vem de Israel e é implementada em outros estados brasileiros.

A qualificação dos pequenos produtores rurais também é um dos projetos desenvolvidos pelo governo federal que serão implantados nas lavouras piauienses. “Para se ter uma ideia, começamos esse programa no Sul do Brasil, como uma experiência, nós chegamos a melhorar uma média de 30% da produção e da renda do pequeno produtor mostrando que é um sucesso. Agora estamos levando para outros estados, incluindo o Piauí”, pontuou o ministro interino.

Novacki ainda apontou a importância das iniciativas voltadas para o campo como alternativa para sanar a instabilidade econômica. “São programas e ideias que estamos colocando em prática que vêm de encontro ao que nós pensamos para o país. A crise que nós enfrentamos, a saída é o agronegócio e nós estamos fazendo a nossa parte”, concluiu Eumar.


Fonte: Assessoria
logomarca do portal meionorte..com