mais
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Agenor está rompido com Diego

Agenor está rompido com Diego

 

O que se comentou hoje em Amarante é que o rompimento do
vereador Diego Lamartine com o médico Agenor Lira está consumado. O boato já
corria solto pelos quatro cantos da cidade. O motivo era a possível candidatura
de um dos dois à prefeitura caso fosse decretada a eleição suplementar ainda
neste ano. Agenor se dizia candidato nato, levando em consideração que
participara da eleição próxima-passada pleiteando esse cargo eletivo, enquanto
Diego conseguiu se eleger vereador.

Diego, por seu lado, se mostrava candidato por ter exercido
por quatro meses o cargo de prefeito de Amarante, portanto com as suas pretensões
asseguradas na ótica desse dispositivo. Então, os dois grupos, de forma
cautelosa, buscavam simpatizantes para os seus projetos. Começaram essa disputa
com candidatos diferentes aos cargos de deputados, cada um tentando mostrar ao
eleitorado amarantino o potencial de poder de votos.

A bomba estourou hoje com a chegada da candidata a deputado
federal, Rejane Dias. Durante a caminhada, algumas pessoas distribuíram recortes
de jornal que falavam da antiga operação desencadeada pela Polícia Federal que
foi denominada de “geleira”. Entre as prefeituras, constava a de Amarante.
Tratando-se, evidentemente, de uma matéria considerada “requentada”, devido o
tempo e arquivamento, essa atitude dos panfletários teve outra conotação.

O principal efeito dessa distribuição de material
jornalístico na feira do mercado público, justamente na visita de Rejane Dias,
foi vista como uma tentativa de desmoralizar o médico Agenor Lira. Nesse
período (entre 2009 e 2010) Agenor era vice-prefeito. As investigações
policiais bateram forte na Secretaria de Saúde, cujo o secretário nada mais e
nada menos, tratava-se de Agenor Lira e que, conforme essas investigações,
houvera cometido diversos atos ilícitos.

Para muitos observadores, a ação dos panfletários teve um
planejamento muito especial levando em consideração que além de candidata à
Câmara Federal, Rejane é mulher do senador Wellington Dias que aparece em
primeiro lugar em todas as pesquisas eleitorais realizadas. O chato, também, é
saber que muitos amigos e aliados de Agenor se fizeram presentes a essa
manifestação. Entre eles, o ex-vereador José Siqueira (Derim).

O que se comentou hoje em Amarante é que o rompimento do vereador Diego Lamartine com o médico Agenor Lira está consumado. O boato já corria solto pelos quatro cantos da cidade. O motivo era a possível candidatura de um dos dois à prefeitura caso fosse decretada a eleição suplementar ainda neste ano. Agenor se dizia candidato nato, levando em consideração que participara da eleição próxima-passada pleiteando esse cargo eletivo, enquanto Diego conseguiu se eleger vereador.

Diego, por seu lado, se mostrava candidato por ter exercido por quatro meses o cargo de prefeito de Amarante, portanto com as suas pretensões asseguradas na ótica desse dispositivo. Então, os dois grupos, de forma cautelosa, buscavam simpatizantes para os seus projetos. Começaram essa disputa com candidatos diferentes aos cargos de deputados, cada um tentando mostrar ao eleitorado amarantino o potencial de poder de votos.

A bomba estourou hoje com a chegada da candidata a deputado federal, Rejane Dias. Durante a caminhada, algumas pessoas distribuíram recortes de jornal que falavam da antiga operação desencadeada pela Polícia Federal que foi denominada de “geleira”. Entre as prefeituras, constava a de Amarante. Tratando-se, evidentemente, de uma matéria considerada “requentada”, devido o tempo e arquivamento, essa atitude dos panfletários teve outra conotação.

O principal efeito dessa distribuição de material jornalístico na feira do mercado público, justamente na visita de Rejane Dias, foi vista como uma tentativa de desmoralizar o médico Agenor Lira. Nesse período (entre 2009 e 2010) Agenor era vice-prefeito. As investigações policiais bateram forte na Secretaria de Saúde, cujo o secretário nada mais e nada menos, tratava-se de Agenor Lira e que, conforme essas investigações, houvera cometido diversos atos ilícitos.

Para muitos observadores, a ação dos panfletários teve um planejamento muito especial levando em consideração que além de candidata à Câmara Federal, Rejane é mulher do senador Wellington Dias que aparece em primeiro lugar em todas as pesquisas eleitorais realizadas. O chato, também, é saber que muitos amigos e aliados de Agenor se fizeram presentes a essa manifestação. Entre eles, o ex-vereador José Siqueira (Derim).

Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail