Na manhã desta sexta-feira, 08, a secretária municipal de Saúde, Caroline Reis, se reuniu com as equipes de Vigilância Sanitária, Epidemiológica, agentes comunitários de saúde e de endemias, para dar celeridade às ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. 

A reunião teve como objetivo traçar metas de combate, e dar início a uma campanha ostensiva ao mosquito Aedes aegypti. Este ano, o município terá como tema "Floriano contra o mosquito", em alusão ao Aedes aegypti, transmissor responsável pela dengue e outras doenças. O material educativo vai ajudar a mobilizar a população no combate ao vetor e deve entrar no ar nas redes sociais, rádio e TV. 

O trabalho ostensivo começou nesta semana com o uso, pelos agentes de endemias, da bomba costal (bomba de borrifação), em uma parceria com a 10ª Regional de Saúde. "Nossos agentes de endemias realizam esse trabalho nas áreas com mais incidência de casos e focos de larvas do mosquito”.

A Vigilância Sanitária também entra em campo com a visita aos chamados "Pontos Estratégicos", locais onde há a maior possibilidade de infestação e que o morador comum não tem acesso. São locais como: cemitérios, borracharias, ferros-velhos e construções abandonadas. 

Uma das preocupações da gestora da Saúde está na subnotificação de casos. "É preciso que a população entenda que ao notar os primeiros sintomas clássicos da dengue, como dor no corpo, febre e dor atrás dos olhos, procure as unidades básicas de saúde, para que seja feita a notificação e tenhamos uma real noção dessa problemática", explicou.

Caroline Reis fez um pedido à população florianense. "Deixem o agente de endemias entrarem em suas casas. Eles estão devidamente identificados e a maioria é conhecido em sua área. Eles são especialistas em identificar locais onde o próprio morador nem imagina que possam existir larvas do mosquito", concluiu. 

Milessia Mousinho, diretora de Epidemiologia, destacou que a utilização do carro fumacê só é autorizada pelo Ministério da Saúde quando há um número 'xis' de notificações. Em Floriano, esse quantitativo ainda é considerado baixo, mas temos consciência que isso se dá pela baixa notificação", disse.

“É sempre bom lembrar que o combate ao mosquito é um trabalho coletivo que cabe a cada morador evitar objetos que acumulem água parada e manter limpos seus quintais. A Secretaria de Saúde está fazendo sua parte para evitar um problema maior. A dengue é uma doença séria e pode matar”, finalizou Caroline Reis.