Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Ex-prefeito cobrou na justiça aluguéis que já havia recebido

Ex-prefeito cobrou na justiça aluguéis que já havia recebido
Ex-prefeito de Juazeiro do Piauí Zé Neto | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

O ex-prefeito de Juazeiro do Piauí, José Pereira Milanez Neto, o Zé Neto, que administrou o município em dois mandatos (2001 a 2008), entrou com ação judicial cobrando dívidas referentes a aluguel de veículo, no valor mensal de 3 mil reais e de uma casa residencial de sua propriedade onde funcionou a Creche Vovó Neném, no valor mensal de um salário mínimo vigente na época, referentes aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2012, últimos meses da administração do ex-prefeito Antonio Filho. O valor cobrado na ação foi de 15 mil reais.

Sobre os fatos da petição da Ação de Cobrança, no item 3, consta o seguinte: “Ocorre, Excelência, que o Município não pagou os alugueres do mês de outubro/12, novembro/12 e dezembro/12, deixando de arcar com o pagamento do uso de energia e água, tampouco fez a devida entrega do imóvel deixando-o imprestável para utilização, devendo arcar também com o seu reparo.”

Entrar com ação judicial cobrando direitos não honrados é um procedimento normal e legítimo, o problema é que os meses cobrados de aluguel residencial foram pagos, como mostram comprovantes de transferências on line realizadas pelo setor financeiro da administração da época para a conta do ex-gestor.



Quanto ao valor cobrado pelo aluguel de uma Hilux, que custava 5 mil reais, não foi encontrado comprovantes de transferências quitando os referidos meses. Se não foi pago e o veículo estava à disposição do município, aí sim, caberia cobrança judicial, bem como dos impostos e consumos de água e energia do imóvel. Mas cobrar os meses de aluguel do imóvel que já haviam sido pagos, representa um ato doloso às finanças municipais.

Um município de coeficiente 0.6 de Fundo de Participação dos Municípios (FPM), como é o caso de Juazeiro do Piauí, não pode se dar ao luxo de pagar uma conta duas vezes, em via normal e em cobrança judicial. É preciso mais seriedade com os recursos públicos e em tempos atuais é o que se espera de gestores e ex-gestores.


Fonte: juazeiroalerta.com.br


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×