Um sonho que está pertinho de se transformar em realidade depois de muitos anos.

Estamos falando da migração de faixa de AM para FM da Rádio Cruzeiro, que até o final do ano deixará de transmitir em Amplitude Modulada para Frequência Modulada. Muitas pessoas devem estar se perguntando sim e qual é a diferença? Pois é, esse é um dos fatores para a mudança do perfil dos espectadores de rádio no Brasil. Enquanto a audiência vem caindo e o número de pedidos de outorga no AM está parado desde 2010, o FM tem atraído novos anunciantes e abrindo novas perspectivas, por vários aspectos, sendo um deles a melhor qualidade de áudio. A interferência das ondas eletromagnéticas na faixa AM é bem maior que na faixa FM. Isso explica os ruídos característicos de transmissões feitas em Amplitude Moderada. Com a migração AM para FM, o áudio ficará “limpo” e “claro”, o que melhora a qualidade do som para o ouvinte.

Outro ponto que destacamos é o aumento da audiência, embora a emissora AM tenha tido até bem pouco tempo atrás uma amplitude maior de audiência, com ouvintes em um maior número de cidades. O FM, sua audiência tende a aumentar. Isso por dois motivos principais: o primeiro é a melhoria na qualidade do áudio. O segundo se dá pela possibilidade de transmissão também via web, o que possibilita que a rádio seja sintonizada em qualquer lugar do mundo.

Com a evolução tecnológica, o rádio deixou de ser um mero aparelho que fazia companhia às donas de casa e se popularizou, não só ao atingir mais pessoas, mas também por ter sido incluído em outros meios.

A migração AM para FM proporciona, com isso, maior integração das emissoras de rádio em plataformas digitais, como os celulares e os tablets, algo que não acontece com o AM.

Aumento nas contratações, o governo federal estima que a migração AM para FM deve estimular as contratações de novos funcionários para o setor da radiodifusão em todo o país. Além da abertura de novas fronteiras, sobretudo com a convergência para as plataformas digitais, empresários já planejam manter uma programação durante 24 horas, o que não acontecia no AM.

Maior quantidade de canais no FM

Para acomodar o número de emissoras nessa transição do AM para o FM, serão criadas novas faixas. Algumas cidades grandes, por exemplo, não comportam novas emissoras de rádio no espectro e, portanto, a Frequência Modulada, que começa no 88,1FM deverá ser levado para o 76FM em alguns casos. Isso significa maior diversidade de estações no seu dial e com melhor qualidade de áudio.

No caso da Rádio Cruzeiro ela sai de 640 Khz para 99,7 Mhz, onde também receberá todas essas qualidades sonoras e facilidades de capitação do seu sinal.