Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Professores municipais deflagram greve em Redenção do Gurguéia

Professores municipais deflagram greve em Redenção do Gurguéia
Imagem ilustrativa | Internet
Compartilhe
Google Whatsapp

            O ano letivo de 2018 deveria começar hoje, 19 de fevereiro em Redenção do Gurguéia, porém neste último sábado em Assembleia Geral, os professores decidiram por deflagrar o movimento paredista.

            Na edição do Informativo 88 da Rádio Redenção FM desta segunda-feira, em entrevista a este colunista, a Diretoria do SINTERG – Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Redenção do Gurguéia deu informações e explicações sobre o movimento.

            A categoria reivindica principalmente a implantação do Piso Salarial referente aos anos de 2017 e 2018. Em 2017, o piso que deveria ter sido implantando em janeiro daquele ano, não fora, em razão disso, 11 paralisações foram feitas pelos servidores ao longo do ano e embora a justiça tenha condenado o município em 19/12/2017 a incorporar o piso salarial desde janeiro daquele ano, a Prefeitura assim não o fez, recorrendo da decisão.

            O Presidente do Sindicato, Mário Genário Lima da Costa disse que sem o piso de 2017 e de 2018,  os professores não têm ânimo nem entusiasmo para assumirem seus postos de trabalho, já que o prefeito municipal até agora não apresentou nenhuma proposta palpável.. Neste sentido, a greve que se inicia agora é por tempo indeterminado. Ficando a cargo do gestor buscar a  solução, visto que o Sindicato já tentou discutir o assunto  inúmeras vezes,   e este  vem se esquivando dessa conversa.

            Para o Professor  Cleris Marques, ainda que o Piso salarial de 2018 seja implantado, haverá prejuízo ao servidor, visto que os 6,81% será implantado sobre o salário de 2016. O professor disse ainda que segundo cálculos feitos, cada servidor teve um prejuízo médio de R$ 1.500,00 com a não implantação do percentual de 7.64 do Piso salarial em 2017, o que seria muito mais prejuízo para a classe. Todavia , até então, nenhuma proposta foi encaminhada ao  sindicato, e nenhum projeto foi encaminhado à Câmara.

            A Secretaria de Educação está convocando para esta terça-feira 20, uma reunião com toda classe com a participação do Prefeito Municipal e um assessor técnico, sobre a qual não se tem grandes informações, mas segundo os sindicalistas supracitados, trata-se de uma audiência pública sobre a mudança do Plano de Carreira do Magistério  e não de uma discussão específica sobre a implantação do piso salarial dos anos em questão..


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se