Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Caso Izadora Mourão: Mãe é indiciada por ser coautora no assassinato

O inquérito está sendo concluído e encaminhado para o Juiz de Direito da Comarca de Pedro II, onde consta todo o caso elucidado

A mãe de Izadora Mourão, Maria Nerci, de 70 anos, foi indiciada pela Polícia Civil, juntamente com o irmão da vítima, o jornalista João Paulo Mourão, pelo assassinato da advogada ocorrido na manhã do dia 13 de fevereiro, no município de Pedro II, no Norte do Piauí. 

Em entrevista ao Meionorte.com, o coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) delegado Francisco Costa, o Barêtta, informou que o Inquérito está sendo concluído e encaminhado para o Juiz de Direito da Comarca de Pedro II, onde consta todo o caso elucidado, que foi planejado antes da morte de Izadora.

Mãe de Izadora Mourão é indiciada pelo assassinato da advogada (Portal Meio Norte)Mãe de Izadora Mourão é indiciada pelo assassinato da advogada (Portal Meio Norte)

“Os dois estão sendo indiciados por homicídio triplamente qualificado, com ação no curso do processo, e fraude processual. Não podemos dar mais detalhes devido a justiça ter decretado segredo neste caso. O Promotor de Justiça vai fazer a análise e decidirá sobre uma possível prisão da mãe”, completou o delegado. 


Relembre o caso 

Izadora Santos Mourão, de 41 anos, foi encontrada morta em sua residência, na Rua Monsenhor Uchôa, centro da cidade de Pedro II, na manhã do dia 13 deste mês.  O acusado do crime, seu irmão João Paulo foi preso no fim da tarde de segunda-feira (15/02), por agentes da Polícia Civil do Piauí  que investigam a morte da advogada. Segundo as investigações, ele já teria planejado o crime e uma das provas é uma carta encontrada no quarto da vítima, em que o acusado faz ameaças de morte à irmã. Esse documento será anexado ao inquérito policial. 

As duas facas usadas no crime foram apreendidas pela polícia. “Uma ele entregou para uma tia guarda e ela já entregou, por livre espontânea vontade, outra o primo entregou. Ela ainda teve a força para se deslocar da cama onde ela estava até onde caiu e deixa um sinal claro para quem sabe interpretar um local de crime de que ela dava uma indicação de que o autor material daquele crime era uma pessoa bem próxima a ela”, acrescentou o delegado Francisco Costa.


 

 

 


Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push
<