A Polícia Civil do Distrito Federal abriu várias frentes de investigação para elucidar detalhes da morte do diretor de Controles Internos e Integridade da Caixa, Sérgio Ricardo Faustino Batista. O corpo do executivo, que era natural de Teresina-PI, foi encontrado na noite da última terça-feira (20/7), no edifício-sede do banco, na região central de Brasília. Recolhido pela PCDF, o celular da vítima é peça-chave para apontar a motivação do suposto suicídio.

A coluna Na Mira apurou que o aparelho da marca chinesa Huawei foi encaminhado para o Instituto de Criminalística (IC) e será periciado. A extração de dados após a quebra da senha deverá levar cerca de 20 dias. As caixas de diálogos de aplicativos de conversa, como o WhatsApp, podem ajudar a esclarecer os motivos pelo qual Batista teria se jogado do 7º andar.  

Celular de diretor da Caixa achado morto em Brasília será periciado - Imagem: Reprodução/Jovem Pan News Celular de diretor da Caixa achado morto em Brasília será periciado - Imagem: Reprodução/Jovem Pan News 

Investigadores da 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) foram à sede do banco a fim de coletar imagens registradas por câmeras de segurança. Os equipamentos flagraram os últimos momentos do diretor, que aparece caminhando por um corredor e, depois, entra numa sala. Dentro do recinto não havia câmeras que pudessem filmar o que ocorreu na sequência. 

Depoimentos

Como o corpo do servidor foi encontrado na área externa do prédio por vigilantes que estavam de plantão, os funcionários deverão ser ouvidos em termo de declaração durante o decorrer das investigações. A tragédia chama a atenção porque a diretoria de Sérgio Faustino Batista tem relação direta com o mais recente escândalo que estourou na instituição financeira.

Rodrigo Rangel revelou que funcionárias da Caixa acusaram o então presidente do banco, Pedro Guimarães, de assédio sexual. Guimarães caiu após a publicação das denúncias.

Diretor era natural de Teresina-PI

Antes de se tornar diretor, Ricardo foi um dos assessores estratégicos do ex-presidente da Caixa Pedro Guimarães, que caiu após ser alvo de denúncias de assédio sexual – Guimarães nega as acusações.

Ele ingressou na instituição em 1989, por aprovação em concurso público. Ele fez curso de graduação em Economia na Universidade Católica de Brasília, com conclusão em 1999. 

Caixa manifestou pesar

Em nota, a Caixa manifestou "profundo pesar pelo falecimento do empregado Sérgio Ricardo Faustino Batista", e disse que colabora com as investigações. 

"Nossos sinceros sentimentos aos amigos e familiares, aos quais estamos prestando total apoio e acolhimento. O banco contribui com as apurações para confirmar as causas do ocorrido", diz o texto.  

 O que faz a diretoria de Controles Internos e Integridade da Caixa?

A Diretoria de Controle Interno e Integridade (Decoi) é para onde são encaminhadas todas as denúncias recebidas pelo canal de atendimento criado pela Caixa Econômica Federal – sobre qualquer tema, de corrupção a assédio sexual, como as que levaram à queda do ex-presidente do banco Pedro Guimarães.

Ainda de acordo com o banco, entre as atribuições da diretoria estão definir os procedimentos de proteção ao denunciante; acompanhar os desdobramentos das medidas protetivas para evitar retaliações e validar a aplicação dessas medidas, em conjunto com as áreas responsáveis.

Com informações do Metrópoles