O empresário Joaquim Bandeira da Silva Filho, 49 anos, que foi assassinado na tarde desta terça-feira (3) dentro de um quarto do seu motel na Vila Bandeirante, na zona Leste de Teresina, pode ter sido torturado antes de morrer, segundo o delegado Francisco Baretta.

Baretta afirmou que aguarda o resultado da perícia e garantiu que o crime não ficará impune.

O dono do motel foi encontrado morto com as mãos amarradas e com um cadarço de tenis no pescoço, o que indica estrangulamento, segundo o delegado Higgo Martins que acredita que o responsável pelo crime pode ter se passado por cliente.

“A gente não tem como afirmar se a pessoa que fez esse crime se passou por cliente para ter acesso ao estabelecimento, acreditamos que sim, uma vez que nã há sinal de arrombamento ou escalada", disse Higgo Martins.