Uma doceira identificada como Talice Ferreira de Sousa, abandonou o emprego e está vendendo doces para custear tratamento psicológico que vem fazendo em Teresina depois de ter sofrido um estupro do amigo do ex-namorado no município de Chapadinha, no Maranhão

Em entrevista ao repórter Kilson Dione, da Rede Meio Norte, a vítima fez questão de revelar a identidade e mostrar o rosto para encorajar outras vítimas a denunciar os casos de estupro.

A jovem surpreendeu seus seguidores nas redes sociais depois de revelar o caso. De acordo com relatos da vítima, ela estava saindo de uma festa quando o amigo de um ex-namorado ofereceu uma carona e a caminho de casa sofreu os ataques.

Talice foi levada para um matagal, ainda chegou a travar uma luta corporal com o suspeito, mas não conseguiu se salvar, até que populares conseguiram chegar no local e salvar a jovem. A doceira registrou a denúncia na Delegacia de Polícia da cidade, fez exames de corpo de delito e passou a sofrer ataques por parte de familiares do abusador e ainda tentou ser subornada por parte da mãe do acusado.

Boletim de Ocorrência registrado após o crime - Foto: Reprodução/Rede Meio NorteBoletim de Ocorrência registrado após o crime - Foto: Reprodução/Rede Meio Norte

“Isso aconteceu em fevereiro de 2021, fiz uma viagem para o interior do Maranhão e no momento que saia da festa, ela ofereceu a carona, eu aceitei e durante o percurso ele fez duas investidas e eu neguei, mas mesmo assim ele parou a moto, começou a me agarrar e eu pedindo para ele parar, foi quando ele me jogou no chão e eu fiquei sem forças e quando percebi o pênis dele já estava na minha vagina e entrei em desespero, mas eu só conseguia gritar, mas não saia nem a voz, foi quando apareceram algumas pessoas para me ajudar”, declarou a vítima.

A vítima que já sofria de depressão e ansiedade, passou a desenvolver outros transtornos emocionais e chegou a ser internada em um hospital psiquiátrico por desenvolver ideações suicidas e chegou a sair do emprego que tinha como recepcionista em uma . “Eu vivia depressiva, eu não conseguia mais trabalhar onde eu estava e resolvi começar a fazer doces e hoje tem sido minha terapia, estou fazendo agora uma rifa para poder investir na doceria, pagar plano de saúde e comprar minhas medicações”, acrescentou.

Para quem desejar participar da rifa ou ajudar com qualquer valor, pode enviar um pix pela Chave Pix: 86999447723.

Talice Ferreira denunciou caso de estupro sofrido no MaranhãoTalice Ferreira denunciou caso de estupro sofrido no Maranhão