Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Promotor do caso Eliza Samudio quer Fernanda na cadeia

Fernanda é ex-namorada do caso Bruno.

Compartilhe

O Ministério Público coloca em xeque a liberdade de Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do goleiro Bruno, condenada por sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio e do bebê a 5 anos de prisão em regime aberto. O promotor Henry Wagner Vasconcelos quer que ela vá para a cadeia.



"Pena acima de 4 anos prevê regime semi-aberto. Então Fernanda ficaria todos os dias na prisão até conseguir emprego e ganhar o direito de visitar a família periodicamente", afirmou. Para isso, o promotor entrou com novo recurso na Justiça. A defesa de Fernanda, que ganhou o direito de recorrer da decisão em liberdade, também quer a anulação do júri.

Além de Fernanda, em novembro do ano passado, o Conselho de Sentença também condenou Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, a 12 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado, e mais três, em regime aberto, por sequestro e cárcere privado.

A dois meses do julgamento Bruno, defesa e acusação voltam a travar embate no tapetão do Judiciário. A maior reviravolta do caso pode acontecer na tarde desta quarta-feira. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais julga se anula a decisão do júri de Contagem.

O pedido de anulação foi feito pelos advogados do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, suspeito de executar Eliza. Eles alegam que tiveram o direito de defesa cerceado no julgamento em novembro. Bola, Bruno e Dayanne do Carmo, ex-mulher do goleiro, serão julgado pelo envolvimento na morte de Eliza em 4 de março. Outros dois suspeitos, Elenilson da Silva e Wemerson Marques de Souza, ainda não têm data para irem a júri popular.

Fechar o cerco às contas bancárias do goleiro Bruno de Souza é mais uma estratégia do Ministério Público para provar que ele foi o mandante da morte da ex-amante Eliza Samudio, em 2010. A quebra do sigilo foi determinado pela Justiça. Pelo crime, Bruno é acusado de ter pago R$ 5 mil. ?Isso é absurdo. As investigações já foram encerradas?, protestou Francisco Simim, um dos advogados de Bruno.

Nesta terça-feira, a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues determinou a expedição da certidão de óbito de Eliza. ?Se existe decisão que reconhece a morte, não faz sentido determinar que genitores ou herdeiro percorram a via-crúcis de outro processo?, disse a magistrada, esclarecendo que o registro civil da morte resguarda os direitos de Bruninho, filho da ex-modelo com o jogador. Pelo documento, ela morreu por asfixia em 10 de junho de 2010.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar