Três pessoas morreram e outras duas foram hospitalizadas depois que um atirador abriu fogo na praça de alimentação de um shopping center de Greenwood, Indiana, na noite deste domingo (17), de acordo com a polícia local. As informações são da CNN Brasil.

Por volta das 18h, horário local, várias pessoas ligaram para o 911 para relatar um atirador ativo no Greenwood Park Mall, disse o chefe do Departamento de Polícia de Greenwood, Jim Ison, a repórteres.

Os investigadores acreditam que o atirador não identificado, um homem adulto, foi baleado e morto por um “bom samaritano” armado que “observou o tiroteio em andamento”, disse Ison.

Olivia Harding disse que estava no Old Navy no shopping quando ela e sua mãe ouviram quatro tiros e pensaram que o carrossel próximo estava quebrando.

“A próxima coisa que você sabe, você ouve mais seis tiros e vê todo mundo correndo”, disse Harding à afiliada da CNN WISH. Harding disse que não acha que voltará a um shopping “por muito tempo”.

Polícia ainda está investigando o que levou ao tiroteio em massa - Reprodução/CNNPolícia ainda está investigando o que levou ao tiroteio em massa - Reprodução/CNN

O atirador parece ter usado um rifle de cano longo, de acordo com Ison, embora a polícia não tenha recuperado nenhuma arma do local no momento em que ele falou com os repórteres, disse ele.

As equipes táticas estão fazendo a limpeza do shopping e a cena será examinada pelos investigadores após a conclusão do processo, disse Ison.

A polícia ainda está investigando o que levou ao tiroteio em massa e questionando as pessoas que estavam dentro do shopping no momento do ataque, disse a polícia. Eles estão pedindo a todas as testemunhas que entrem em contato com as autoridades e solicitaram que o público fique longe do shopping neste momento.

“Esta tragédia atinge o centro de nossa comunidade”, disse o prefeito de Greenwood, Mark Meyers, em um post no Facebook. “Por favor, ofereça suas orações às vítimas e aos nossos socorristas.”

Várias agências responderam ao local e estão auxiliando no incidente, incluindo o FBI, ATF, o Departamento do Xerife do Condado de Johnson e o Departamento de Segurança Interna, disse Ison.