MÔNICA BERGAMO 

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, reagiu com risadas e ironias às denúncias de que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) estaria descumprindo a decisão judicial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de proibir operações do órgão relacionadas ao transporte público de eleitores. "Será?", respondeu ele ao ser questionado sobre as denúncias de que a PRF estaria desobedecendo a determinação da corte.

Em conversa com a reportagem, e também em mensagens, ele afirmou ainda que a PRF é um órgão "sério" que não se rebelaria contra o TSE. E disse que o governo de Jair Bolsonaro (PL) não descumprirá ordens da Justiça. "Cumpriremos tudo", afirmou.

Denúncias de que a ordem do TSE está sendo descumprida pela PRF se multiplicaram neste domingo (30), e a coligação que apoia Lula (PT) requereu ao tribunal a prisão imediata do diretor-geral da PRF, Silvanei Vasques. O presidente do TSE, Alexandre de Moraes, já pediu explicações a Vasques.

Ciro Nogueira - Foto:  Apoliana Oliveira/Portal Meio NorteCiro Nogueira - Foto:  Apoliana Oliveira/Portal Meio Norte

Em conversa por telefone com Ciro Nogueira, a reportagem questionou se ele tinha conhecimento das denúncias de que a PRF estaria descumprindo a determinação de Alexandre de Moraes. Ele disse que não tinha conhecimento do teor da decisão do TSE e perguntou se a PRF deveria deixar de cumprir a sua missão, de fiscalizar as estradas. Em seguida, questionou quem seriam os autores das denúncias.

Ao ouvir que diversos relatos de eleitores e de políticos do nordeste, como o ex-governador Flávio Dino (PSB-MA), mostravam que a PRF estaria dificultando o trânsito de eleitores da região, ele deu risada e ironizou: "Flávio Dino? Ele não tem nenhuma credibilidade". A reportagem então afirmou que o próprio Alexandre de Moraes pediu explicações.

O ministro afirmou que Moraes, sim, tem credibilidade, e que a PRF iria "cumprir tudo" o que o magistrado determinar.

Depois, informado de que a acusação de apoiadores de Lula era a de que a PRF estaria "jogando baixo" para tentar aumentar a abstenção entre eleitores do Nordeste, onde Lula ganhou com larga vantagem no primeiro turno, Ciro respondeu: "PRF nunca joga baixo. Instituição séria".