Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Debate em São Luís é quente e marcado por críticas à gestão municipal

Quatro candidatos participaram do confronto de ideias promovido pela Rede Meio Norte

Compartilhe

Reiterando o compromisso de pautar a informação com credibilidade e fortalecer a democracia, o Grupo Meio Norte de Comunicação promoveu neste sábado, 03 de outubro, o debate com candidatos à Prefeitura de São Luís. A transmissão ocorreu na Rede Meio Norte, dentro do programa Jogo Aberto MN, apresentado pelo jornalista Amadeu Campos. Foram convidados para o confronto de ideias os 8 candidatos pertencentes aos partidos com no mínimo cinco representantes no Congresso Nacional, no entanto, quatro não compareceram: Eduardo Braide (Podemos), Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (Democratas) e Rubens Pereira Júnior (PCdoB). 

Neste sentido, o debate foi constituído por quatro pleiteantes ao Executivo municipal: Bira do Pindaré (PSB), Carlos Madeira (Solidariedade), Yglésio Moyses (PROS) e Franklin Douglas (PSOL). Ao todo, 12 candidatos disputam a Prefeitura de São Luís. 

Assista à íntegra do debate:


O confronto de ideias foi quente e marcado por críticas à atual gestão municipal, tal como aos candidatos que faltaram ao debate. Porém, também houve espaço para a apresentação de propostas à capital do Maranhão; pautando áreas essenciais como educação, saúde, segurança e saneamento básico. 


Carlos Madeira pauta programas de geração de emprego 

 O candidato do Solidariedade defendeu a ampliação dos projetos esportivos em São Luís, por meio da criação do programa 'Esporte é Vida'. "O esporte é essencial para São Luís, São Luís é uma cidada notadamente esportiva, por isso tenho como propostas criar o programa municipal Esporte é Vida, abrangendo várias comunidade; o município tem que ter uma política para incentivar o esporte amador, fazer uma estratégia de controle; criar quadras de futsal, futebol", disse. 

Sobre a zona rural, Madeira demonstrou preocupação, citando ações para a área.     "Me preocupa a situação da zona rural, não tem nesse momento grandes praças do esporte, por isso nossa preocupação em dotar a zona rural, pretendemos seguir o exemplo bem sucedido de Bogotá", afirmoi. 

Na saúde defendeu a aquisição de mais ambulâncias. "É preciso ampliar as ambulâncias, uma para cada Unidade Básica de Saúde, hoje temos só 17 em São Luís", afirmou. 

Na geração de emprego destacou projetos na zona rural. "Começo por avaliar a zona rural, precisa ser protagonista para isso temos o projeto dos Açudes Comunitários, criar um programa de apoio aos marisqueiros, criar o Centro de Abastecimento da Zona Rural, para fomentar a zona rural; estimular o programa da Apicultura, criar um programa fiscal que possa viabilizar a isenção de tributos e na zona urbana criar grandes incentivos para os microempresários individuais;  criar um programa de apoio aos camelôs, criar um Shopping Popular para contemplar essas pessoas", frisou. 

Bira do Pindaré pauta acessibilidade e fortalecimento do SUS

No esporte, o candidato do PSB defendeu a descentralização dos projetos. "Precisamos levar equipamentos para os bairros, pistas para caminhada, precisamos de uma política de descentralização para atender as comunidades", afirmou. 

Bira do Pindaré também demonstrou preocupação com a zona rural, e sua inclusão no Plano Diretor. "É um grande equívoco um Plano Diretor e esquecer a zona rural, é preciso até que se discuta melhor, é uma grande tarefa do próximo gestor e tem que ser feita com transparência", frisou. 

O pleiteante ao Poder Executivo Municipal ainda defendeu um programa de renda mínima e ações voltadas à acessibilidade. "Eu concordo plenamente com políticas de renda mínima, eu defendo uma proposta voltada à familias em situação de vulnerabilidade social, complementando os programas nacionais.Queria destacar a importância da acessibilidade, estou apresentando uma proposta chamada Cidade em Línguas para ampliar a LIBRAS, vamos realizar a Conferência Municipal Nada sobre Nós, sem Nós", sinalizou. 

Na saúde pautou o fortalecimento do Sistema Único de Saúde. "Essa questão da saúde passa pelo fortalecimento do SUS, para isso, é preciso que funcione começando pela Atenção Básica, pelas equipes do Saúde da Família, passando pelas UBSs, para isso temos o nosso Plano Saúde Digna, é fundamental que se dê um passo para o atendimento digno e a marcação de consultas temos que concordar que o aplicativo é necessário, também apresento uma proposta nova que é o atendimento de uma rede de agências, que eu chamo de Ganha Tempo", comentou. 

Franklin Douglas defende estratégia de universalização da saúde da família 

O candidato do PSOL defendeu que o Plano Diretor seja repensado. "A questão do desenvolvimento urbano passa pelo Plano Diretor, temos que repensar, desenvolvendo do ponto de vista algumas áreas da cidade, sem comprometer o meio ambbiente. A atual Prefeitura escondeu o debate do Plano Diretor. Não dá para fazer Plano Diretor sem participação", disse. 

Franklin Douglas ainda pautou ações de desenvolvimento da empregabilidade em São Luís. "Vou criar cinco frentes de trabalho para gerar emprego em toda São Luís", afirmou.

Na saúde reverberou melhorias essenciais para a população. "Defendo a universalização, 100% da estratégia da família, se você aumenta a resolutibilidade na Unidade Básica da Saúde, não tem fila lá na frente", frisou.  

Ele ainda destacou projetos para a cultura de São Luís. "Meu projeto para cultura é construído coletivamente, o plano precisa ser revisado, a cultura precisa do plano, da conferência, dos recursos para o controle social e sobretudo descentralizar, incentivar a cadeia produtiva da cultura. Nada de ir com pires na mão e pedir apoio, no contexto da pandemia vamos chamar os produtores culturais quais as soluções possíveis no contexto de pandemia", frisou. 

Yglésio Moisés defende avanços no setor de transporte público

O candidato do PROS apresentou suas propostas para aumentar o número de empregos em São Luís. "O que o Governo Bolsonaro está fazendo com a questão do emprego retirando direitos progressivamente é um ataque à classe trabalhadora e isso a gente tem deixado muito claro em todo o curso das nossas intervenções, vamos deixar essa debate partido ideológico de lado tratando da questão de São luís; o prefeito de uma cidade pode atuar seguindo dois rumos: um rumo dedicado às pessoas e o rumo dedicado ao cuidado com as empresas, que são também necessárias para o fortalecimento da geração de emprego; quando a gente atua no campo das pessoas temos que buscar qualificação profissional, possibilidade da primeira experiência, então o nosso plano de Governo contempla empregos temporários, para que as pessoas criem experiência; trabalhamos também no fomento e especialização junto às entidades do Sistema S", disse. 

Yglésio ainda teceu críticas à atual gestão, pautando investimentos no setor. "Precisamos tratar da questão do transporte que é uma bomba relógio, a Prefeitura não investe no transporte público", afirmou. 

Ele ainda afirmou que lutará para a redução da tarifa, buscando ainda vançar o sistema para que a população seja melhor assistida e incentivada à utilizá-lo. "Nossa meta é tentar baixar em 30 centavos o valor da passagem, investindo no transporte, há muitos anos a Prefeitura de São Luís não investe um real, por isso estamos vendo um desmonte, hoje de 100 pessoas na cidade, somente 29 utilizam o transporte público. Vamos enfrentar com coragem", complementou.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar