Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Franzé pede que bancada federal rejeite Reforma da Previdência

Ele apontou para a luta contra na ampliação da idade para que as mulheres se aposentem

Compartilhe
Google Whatsapp

Um debate sobre a Reforma da Previdência lotou hoje (6) de manifestantes rurais o Cine-Teatro da Assembleia Legislativa durante audiência pública na Comissão de Administração Pública e Política Social. Os deputados Franzé Silva (PT) e Francisco Limma (PT), líder do Governo, convocaram os participantes para entregarem documento aos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que chegarão logo mais a Teresina, pedindo que a reforma não seja aprovada pelo Congresso Nacional.

O presidente da Comissão de Administração, deputado Severo Eulálio (MDB), convidou para a mesa dos debates, dentre outros, a vice-governadora Regina Sousa, o presidente da Alepi, deputado Themístocles Filho (MDB), os deputados federais Merlong Solano (PT) e Assis Carvalho (PT), os deputados estaduais Flora Izabel (PT), Evaldo Gomes (Solidariedade) e Zé Santana (MDB), os presidentes da Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais (Contag), Aristides Santos, e da Federação dos Trabalhadores Rurais do Piauí (Fetag), Elizângela Moura.

Autor da proposta de audiência pública, juntamente com o deputado Francisco Limma, o deputado Franzé Silva saudou todos os participantes e disse que a população não pode aceitar que a Reforma da Previdência retire direitos dos trabalhadores, assinalando que todos devem lutar contra mudanças na aposentadoria rural, no BPC (Benefício de Prestação Continuidade) e na ampliação da idade para que as mulheres se aposentem.

Franzé Silva declarou que os senadores e deputados federais não devem aprovar mudanças na Constituição Federal que criem o sistema de capitalização da previdência no Brasil, visando beneficiar as grandes instituições financeiras, como os bancos. Ele disse que, após a audiência pública, os trabalhadores rurais iriam se deslocar para o aeroporto de Teresina para realizar manifestação contra a Reforma da Previdência na chegada dos presidentes do Senado e da Câmara Federal.

DivulgaçãoPor sua vez, o deputado Francisco Limma chamou de assassina a proposta do Governo Federal, assinalando que a reforma poderá prejudicar gravemente os Estados nordestinos. Ele citou que mais de R$ 4 bilhões são pagos anualmente aos trabalhadores rurais aposentados no Piauí, um valor que é superior aos repasses dos Fundos de Participação dos Estados e dos Municípios.
Em seguida, a vice-governadora Regina Sousa conclamou os deputados federais e senadores para que não aceitem retirar direitos dos trabalhadores, principalmente das mulheres, como as professoras que irão demorar mais para garantir a sua aposentadoria. Ela declarou que a reforma deve atingir os mais ricos e não os mais pobres e citou o caso dos grandes bancos que devem valores elevados à Previdência Social e não são cobrados.

A presidente da Fetag-PI, Elizângela Moura, disse que a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 06/2019 representa um verdadeiro desmonte da Previdência do Brasil e prejudicará 72% dos aposentados que ganham um salário mínimo por mês. Ela anunciou que as trabalhadoras rurais piauienses participarão da Marcha das Margaridas em Brasília em agosto quando protestarão contra a Reforma da Previdência.

A deputada flora Izabel (PT) também criticou a proposta de reforma da previdência e falou sobre a importância do salário mínimo para os trabalhadores rurais. O deputado federal Merlong Solano (PT) disse que está em jogo todo o modo de vida dos brasileiros com a Reforma. Já o presidente da CONTAG, Aristides Santos convocou todos os trabalhadores para visitarem os deputados federais do Estado e cobrarem uma posição na Reforma. Aristides também alertou sobre a Medida Provisória que revisará todas As aposentadorias e pensões e, segundo ele, terá um impacto ainda mais negativo na vida dos trabalhadores.

O deputado federal Assis Carvalho (PT) disse que o problema da Previdência está no Regime Próprio e não no Regime Geral da Previdência Social e cobrou a tributação de heranças. Paulo Bezerra, da CUT, criticou o Governo Federal pela proposta. A presidente da Comissão de Direito Previdenciário da OAB Piauí, Raylena Vieira Alencar Soares convidou a todos para participar de audiência pública que acontecerá na OAB Piauí agora em maio.

O presidente da Comissão de Administração Pública e Política Social, deputado Severo Eulálio (MDB) informou que o resultado da Audiência Pública que discutiu os principais pontos da reforma Administra, em votação no Congresso Nacional, será enviado à bancada federal do Piauí em Brasília. Segundo o parlamentar um dos maiores perigos do projeto “é a questão do regime de capitalização, porque pode acontecer uma quebradeira dos bancos e prejudicar os trabalhadores futuramente”.

Participaram da Audiência Pública o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais, Aristides Veras dos Santos. Ele disse que a reforma da previdência social prejudica os trabalhadores do setor em dois pontos: a pec 06 e a MP 871 que revisa os benefícios rurais das aposentadorias por invalidez.

O presidente da Comissão de Administração Pública e Política Social, deputado Severo Eulálio (MDB) informou que o resultado da Audiência Pública será enviado à bancada federal do Piauí em Brasília.


Siga nosso canal no telegram
Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se