Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Margarete Coelho cobra cota para mulheres na reforma política

Coelho revelou que as representantes femininas estão unidas

Margarete Coelho cobra cota para mulheres na reforma política
Margarete Coelho | reprodução
Compartilhe

Com o desenvolvimento das discussões envolvendo o projeto de Reforma Política em tramitação na Câmara Federal, a vice-governadora Margarete Coelho (PP) cobrou, na tarde de ontem, a inserção da cota para mulheres na pauta. De acordo com a representante, a mobilização em torno da questão tem se intensificado nos últimos dias. “Infelizmente a Reforma não contempla, essa pauta sequer entrou em discussão, ainda nós estamos nos mobilizando no país inteiro, eu já participei de várias audiências representando as pouquíssimas mulheres que há no Executivo hoje”, declarou.

Nisso, ela apontou os próximos passos a serem galgados para que o tema seja inserido na proposição. “Nós estamos forçando a barra para que seja colocado pelo menos em pauta, para que seja discutido, pois até agora nós não conseguimos sequer colocar a questão das cotas, da representação feminina nos debates”, impôs.

Coelho revelou que as representantes femininas estão unidas em torno dessa mudança, o que representaria uma vitória na tratativa. “Somos poucas, mas somos unidas, acho que daí que vem a nossa força”, afirmou. Nesse sentido, a vice-governadora direcionou para uma participação mais efetiva do grupo no andamento do processo de decisão no Congresso Nacional.

MAIORIDADE – Em voga após o crime que contou com a participação de quatro jovens no município de Castelo do Piauí, Margarete Coelho também opinou so- bre a redução da maioridade penal, tema que deve ser intensificado em Brasília nas próximas semanas. “Eu acho que não se resolve a criminalidade, principalmente em relação a esses crimes contra a mulher, somente através da lei, é através de políticas públicas, então eu sou favorável que se foque em políticas públicas e não meramente na lei”, finalizou.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar