Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Oposição culpa Caixa Econômica por confusão sobre o fim do Bolsa Família

O líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio, quer que o presidente da Caixa, Jorge Hereda, dê explicações sobre a antecipação do pagamento.

Compartilhe

A oposição atribuiu ao governo federal a "lambança" provocada pelo boato sobre o fim do Bolsa Família e afirma que irá pedir explicações à Caixa Econômica Federal sobre a antecipação no pagamento dos recursos do programa.

Na edição deste sábado (25), a Folha revelou que a Caixa alterou, sem aviso prévio, o calendário de pagamento na véspera da disseminação do boato que gerou filas e tumulto em agências de 13 Estados no último fim de semana.

O banco liberou todos os benefícios -no valor total de R$ 2 bilhões- na sexta-feira (17). Pela regra oficial, o pagamento é feito de forma escalonada, seguindo a ordem do último número do cartão.

A informação sobre a mudança foi confirmada pela Caixa, que até então vinha dizendo que o calendário estava mantido e que os pagamentos só foram liberados emergencialmente no final de semana para atenuar o efeito do boato.

A Polícia Federal, que apura a origem dos boatos,, ainda não concluiu as investigações.

O líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio, quer que o presidente da Caixa, Jorge Hereda, dê explicações sobre a antecipação do pagamento e também sobre a mudança na versão dada pelo banco.

"A Caixa Econômica precisa dar explicações sobre o que motivou a antecipação dos benefícios e porque só agora admitiu ter feito o pagamento antes do previsto. Não nos parece ser rotineiro e fácil antecipar o pagamento de R$ 2 bilhões de uma hora para outra", afirmou Sampaio.

Segundo ele, a PF precisa apurar se a mudança sem comunicado prévio pode ter contribuído para a disseminação do boato.

Em nota enviada à Folha, a Caixa afirmou que, em busca de "melhorias no Cadastro de Informações Sociais", optou por permitir o saque pelos beneficiários no dia 17 independente do calendário individual.

Para o senador paranaense Álvaro Dias, vice-líder do PSDB no Senado, a responsabilidade pela disseminação do boato é "oficial".

"A lambança foi do governo. E ainda se tentou, desonestamente, incriminar a oposição", afirmou o senador neste sábado.

A crítica faz referência às declarações da ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos), que na segunda-feira (20) atribuiu os boatos à "central de notícias da oposição".

Ela foi depois desautorizada pela presidente Dilma, que, sem citar nomes, chamou de "criminoso" e "desumano" o responsável pelo boato.

Para o líder do MD (Mobilização Democrática) na Câmara, deputado Rubens Bueno, se há "criminoso" neste caso, trata-se do "próprio governo que ensejou o boato" ao liberar os recursos de forma "incompetente" e "atabalhoada".

"Funcionários da própria Caixa admitiram que ocorreram erros e foi permitida a liberação antecipada dos benefícios. O erro pode ter dado origem ao boato. Cabe ao ministro e a direção da Caixa esclarecer muito bem a situação", afirmou.

Já o senador José Agripino Maia (RN), presidente nacional do DEM, disse que não estranharia se o próprio governo estivesse por trás dos boatos.

Para o senador, o episódio do Bolsa Família está sendo usado politicamente pelo governo.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar