Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Veja fotos da sala onde José Arruda está preso na PF

Arruda está preso desde o dia 11 de fevereiro por determinação do Superior Tribunal de Justiça

Veja fotos da sala onde José Arruda está preso na PF
Prisao de Arruda | Divulgaçãp
Compartilhe

A Procuradoria Geral da República divulgou nesta sexta-feira (5) fotos da sala onde o governador afastado, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), está preso na Superintendência da Polícia Federal. Nesta quinta-feira (4), durante julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) do pedido de habeas corpus do governador, o advogado dele, Nélio Machado, classificou a sala de Arruda de "masmorra".

Presente à sessão na qual o Supremo negou liberdade ao governador, a sub-procuradora-geral da República, Débora Dubrat, rebateu as acusações da defesa de que o governador estaria mantido em condições precárias. Ela disse que recebeu fotos da sala, que não contém grades, e constatou que o local é "digno". A sala tem 10 m² e é mobiliada com uma beliche, mesa com cadeira, sofá e ar-condicionado.

Arruda está preso desde o dia 11 de fevereiro por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ele ficou oito dias na sala do diretor Tecno Científico da PF, que tem 40m² e banheiro privativo. No dia 19, o governador foi transferido para uma sala no Comando de Operações Táticas, também na Superintendência da PF.

Prisão

O STJ determinou a prisão preventiva de Arruda sob a alegação de que ele estaria obstruindo as investigações do mensalão do DEM de Brasília ao tentar subornar uma testemunha. Além do governador afastado, foram presos 4 suspeitos de participar da tentativa de suborno do jornalista Edmilson Edson dos Santos, conhecido como Sombra.

Nesta quinta, o STF manteve, por nove votos a um, a prisão de Arruda. Seguindo o voto do relator, ministro Marco Aurélio Mello, os ministros Joaquim Barbosa, Carlos Ayres Britto, Cezar Peluso, Celso de Mello, Ellen Gracie, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, e o presidente do STF, Gilmar Mendes, entenderam não haver fatos novos na tese elaborada pelos advogados para conceder o pedido de liberdade ao governador.

?Dói em cada um de nós, dói na alma, dói no coração ver um governador sair de um palácio direto para a cadeia?, resumiu o ministro Carlos Ayres Britto o sentimento da Suprema Corte diante do caso envolvendo o governador do DF. ?Acabrunha um país como um todo e constrange a cada um de nós, com seres humanos. Há quem chegue às maiores alturas para cometer as maiores baixezas?, complementou.








Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar