O governador Wellington Dias disse nesta segunda-feira, 21, que sua saída do comando da Administração do Piauí, a vice-governadora Regina Sousa vai dar continuidade aos projetos e programas em execução. "Será um governo de continuidade, Regina Sousa faz parte da coordenação de muitas ações no Estado, acompanha projetos em todas as áreas", disse o governador, esclarecendo que a única mudança será a sua saída e dos demais secretários e gestores que vão participar do pleito eleitoral.

"A vice-governadora, professora Regina Sousa, é uma pessoa atenta e tem muita sensibilidade com questões sociais e vontade de contribuir para o desenvolvimento econômico do estado", disse o governador.

Wellington Dias afirmou que as críticas da oposição são normais em anos de eleição. "Mas aqui é só paz e amor. Nada de ódio, de fake. Nossa ideia é fazer o que nosso time sabe fazer de melhor, trabalho, trabalho, trabalho... O povo fará o julgamento mais à frente", relata.

Governador diz que responde oposição com trabalho  (Raissa Morais)Governador diz que responde oposição com trabalho  (Raissa Morais)

Fake news é crime, diz Wellington

Segundo Wellington, fake news é crime e deve ser combatido. "Como alguém que crê em Deus, peço que os corações dessas pessoas sejam tocadas", disse.

Dias falou ainda da filiação do ex-governador Wilson Martins, que já conversou com líderes e esta semana deve fechar entendimento e marcar a data para filiação. "Estamos de braços abertos para recebê-lo", disse.

No cenário nacional, Wellington disse que o ex-presidente Lula se coloca como um dos grandes líderes do Brasil por sua história e experiência já demonstrada. "No momento certo, o povo tomará sua decisão e vai escolher o melhor para o País", disse, enfatizando que o PT busca concretizar com o ex-governador Geraldo Alckmin, uma pactuação que preza acima de tudo os interesses dos brasileiros. "Eles já disputaram eleições em planos divergentes e estão juntos numa conjuntura para o bem do Brasil", declara.

Sobre a parceria administrativa com o Republicanos, o governador diz que torce para que o partido possa se organizar e destacou a importância do prefeito Dr. Pessoa, do vice-prefeito Robert Rios e de João Pessoinha em oferecer alternativas de nomes para as disputas no parlamento. "O Estado vai precisar de líderes de vários partidos que tenham compromisso com o desenvolvimento de Teresina e do Piauí", garante o governador.

Rafael Fonteles diz novos nomes para o PT já atuam no projeto político do partido (Raissa Morais)Rafael Fonteles diz novos nomes para o PT já atuam no projeto político do partido (Raissa Morais)

O pré-candidato a governador, Rafael Fonteles, destacou que as novas filiações são de nomes que há muitos anos atuam no mesmo campo político. "Com a mudança na legislação, a tendência natural é o fortalecimento dos partidos a exemplo do que ocorreu com MDB, PSD. Então o PT recebe de braços abertos as novas filiações", disse.