Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Avião carregado com cocaína pousou primeiro em rodovia estadual

Compartilhe

A Delegacia de Prevenção e Repreensão a Entorpecentes (Depre), divulgou detalhes do que aconteceu, na última sexta-feira (26), nos momentos em que antecederam o pouso forçado de um monomotor carregado com 300 quilos de cocaína, em uma pista abandonada na cidade de Barreiras do Piauí, no extremo sul do Piauí. A aeronave chegou à Teresina nesta terça-feira (30). 

De acordo com o delegado Menando Pedro, o piloto relatou que não sabia que o material que transportava fosse entorpecente. Segundo o piloto, um erro no plano de voo ocasionou o pouso forçado, primeiro em uma rodovia estadual, onde 200 quilos de droga foram dispensados em um matagal. 

“O tempo estava nublado e ele colocou no GPS para pousar na pista clandestina de uma fazenda no Piauí, onde iria reabastecer esse avião. Quando não encontrou a pista, eles começaram a discutir, momento em que o piloto disse ter ficado sabendo que a carga era cocaína. Ele pousou na PI, no asfalto, e tirou 200 quilos e escondeu dentro do mato, só que apareceu um popular e viu a movimentação, foi quando eles decidiram seguir para a pista na cidade de Barreiras” , afirmou o coordenador da Depre. 

O piloto preso afirmou, em depoimento, que o proprietário da droga havia dito que a substância tratava-se de cianeto, um veneno muito utilizado em fazendas do sul do Piauí. 

Segundo o piloto Gregório Mendes, a autonomia deste tipo de aeronave é de 4h30, mas, aeronave apreendida no Piauí havia tido o tanque alterado para ampliar sua autonomia de voo para mais de 8 horas. Segundo a polícia, a aeronave seguia da cidade de Altamira, no Pará, para o estado do Maranhão. 

“A autonomia dele de voo normalmente é de 4 horas e meia e essa aeronave, excepcionalmente, tem autonomia de  mais de 8 horas. Essa pista que ele pousou, a gente não opera lá há muitos anos, é uma pista que já está abandonada há muitos anos, impraticável. Não sei como ele conseguiu pousar nessa pista”, explicou o piloto. 

Um outro piloto, que preferiu não ter a identidade revelada, afirmou que este tipo de aeronave é muito utilizada para este tipo de crime tendo em vista que exige curtos espaços para decolar ou pousar. 

“É um monomotor que precisa de pouca pista para decolar e pousar, ele precisa praticamente de apenas 400 ou 500 metros de pista para decolar ou pousar”, disse. 


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar