Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Castro confirma aliança com o PT e secretários tomam posse segunda

Compartilhe

Nesta sexta-feira (03), o deputado federal Marcelo Castro esteve no Jornal Agora e confirmou que o PMDB fará parte do governo Wellington Dias, em uma aliança administrativa e política. O parlamentar ainda destacou que a aliança será mantida nas eleições de 2018. 

Marcelo Castro afirmou que os nomes indicados pelo PMDB devem tomar posse em solenidade na próxima segunda-feira (06). Os deputados estaduais José Santana e Pablo irão assumir a Secretaria Estadual de Assistência Social (Sasc) e a Fundação Hospitalar, respectivamente. Já o PCPR será gerido por Leonardo Sobral e o Departamento de Estradas e Rodagens ficará a cargo de Castro Neto. 

Segundo Marcelo Castro, a participação do PMDB no governo Wellington Dias é fruto de uma decisão conjunta do partido e de muito dialogo com o governador.

 class=

 

"Confirmo, como não poderia não confirmar. A gente vem conversando com o governador Wellington Dias já há algum tempo e ele fez esse convite ao PMDB, depois vieram as eleições municipais, após as eleições nós voltamos a dialogar novamente e a gente vem nessas tratativas, nesses entendimentos, até que finalmente agora nós chegamos denominador comum, em uma decisão conjunta do partido, e segunda-feira está marcada a posse dessas pessoas que irão participar do governo Wellington Dias”, afirmou. 

Castro, que é presidente estadual do PMDB, reafirmou que a aliança entre PMDB deve ser estendida à disputa eleitoral de 2018, com o partido indicando um candidato a vice-governador na chapa de Wellington Dias, que seria o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themistocles Filho. 

 class=


"Eu entendo que uma vez que o partido tomasse essa decisão de participar do governo Wellington Dias, ficaria muito difícil de o PMDB voltar atrás. Essa é uma decisão da mais alta responsabilidade, visando o futuro do nosso partido e do nosso estado. É um ato sensato, pensado, medido, pesado e contado.Nossa decisão é participar do governo Wellington Dias e participar da campanha para reelege-lo em 2018. Evidentemente, que um partido da dimensão do PMDB, da história e da força política do PMDB, deverá ter uma vaga na chapa majoritária e o nome do deputado Themistocles é um nome que tem sido lembrado por todos como vice-governador, mas esse não é um ponto fechado”, disse Marcelo Castro. 

Com os partidos em lados opostos na conjuntura nacional, Marcelo Castro ainda falou sobre a possibilidade de a aliança no Piauí ser vetada pela executiva nacional do PMDB.

"O PMDB nacional pode tudo, agora não tem essa tradição. Nunca fez isso, sempre respeitou as realidades estaduais", disse.