Os manifestantes se concentraram em frente ao Palácio dos leões, em São Luís, Maranhão, na manhã desta segunda-feira.

Com faixas, cartazes e música chamaram atenção do Governo do Estado. Esses representantes de várias comunidades da zona rural de São Luís, pedem a regularização das terra em que vivem.

“O que imas queremos é ter direito a moradia e permanecer no nosso local, que o governo Flávio Dino tome conhecimento e nos ajude, tome uma posição”, disse Raimundo Oliveira, líder comunitário de Parque Araçagi II.

“As pessoas necessitam de moradia, pois a maioria são pessoas carentes”, disse Cleilson Costa, líder comunitário da Vila Esperança.

Em todo o Estado a disputa por terras gera dados alarmantes, segundo a Comissão Pastoral da Terra, entre 1985 e 2013 foram 138 casos de morte causadas pelo conflito. Ainda hoje, famílias tem perder as casas e tudo que produziram.

“Estamos lutando pelo nosso direito e na vamos desistir. Sabemos que o governo tem que respeitar a moradia e as famílias tradicionais que tanto ajudam o Maranhão” , disse Maria Pires.

O Secretário Estadual dos Direitos Humanos e Participação Popular conversou com os manifestantes, segundo ele o governo reconhece o problema e já vem tomando medidas para resolver a situação.

“A partir de conversas com os representantes dessas comunidades o governo do Estado enviou para a aAssembleia Legislativa a criação de uma comissão própria para tratar desses assuntos e essa comissão estará sendo instaladas nos próximos dias, para mediar a solução desses conflitos”, disse o secretário Francisco Gonçalves.

Image title

Image title

Image title

Image title