Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Dois homicídios são registrados no primeiro dia de 2019 em Teresina

Compartilhe

No primeiro dia útil do ano o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa já tem a tarefa de investigar os dois primeiros homicídios registrados em 2019 na cidade de Teresina.

O primeiro caso ocorreu na Vila da Guia, na zona Sudeste de Teresina, a vítima é Tomas Rangel, de 23 anos, assassinado com quatro tiros. De acordo com o coordenador do DHPP, ele havia acabado de sair da prisão e tem uma extensa ficha criminal.

“Ele já tinha passagem pela polícia por roubo, furto e porte ilegal de arma de fogo, estava recolhido na Casa de Custódia há 11 meses e estava há uma semana que tinha sido liberado, inclusive a mãe dele já tinha trocado de endereço por causa de umas ameaças que ele estaria recebendo de um pessoal do Alto da Ressureição”, disse.

 (Crédito: Reprodução/TVMN)
(Crédito: Reprodução/TVMN)
 (Crédito: Reprodução/TVMN)
(Crédito: Reprodução/TVMN)

O segundo homicídio foi registrado no Parque Jurema, também na zona Sudeste de Teresina. Dessa vez, a vítima foi Gerardo Arcebispo, de 34 anos. Ele foi executado com quatro tiros enquanto estava em um bar na região.

“Segundo consta, por causa de uma dívida de R$ 20 que esse rapaz estava devendo a esse outro, já tinha pago para o dono de um bar e o dinheiro não foi repassado”, afirmou Baretta.

 (Crédito: Reprodução/TVMN)
(Crédito: Reprodução/TVMN)
 (Crédito: Reprodução/TVMN)
(Crédito: Reprodução/TVMN)

A Polícia Civil tem 30 dias para concluir as investigações envolvendo os dois casos, até o momento nenhum suspeito foi preso, mas o coordenador do DHPP faz um apelo para que assim que identificados, os culpados possam permanecer atrás das grades.

“Está na hora das autoridades que interpretam, que aplicam as leis, serem mais severas, onde indivíduos que matam fiquem na cadeia porque se for só pra nós indiciarmos, o indivíduo for denunciado e ficar em uma instrução criminal daqui dois, três, quatro anos e o sujeito matando, isso é um estímulo a impunidade”, finalizou.

 (Crédito: Reprodução/TVMN)
(Crédito: Reprodução/TVMN)



Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar