Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Evaldo Gomes disse que clima de desunião afastou seu grupo do PSL

Compartilhe

Na edição do quadro Jogo do Poder desta quarta-feira (13/02), do programa Agora, composto pelos jornalistas Amadeu Campos, Arimatea Carvalho, Efrém Ribeiro, Samantha Cavalca e Ananias Ribeiro, os profissionais explanaram sobre os principais pontos dos bastidores da política.     


O deputado Evaldo Gomes foi ouvido pelo jornalista Efrem Ribeiro sobre sua filiação ao Solidariedade, que afirmou que desistiu do PSL devido ao clima de desunião que atingiria o partido, caso se confirmasse sua ida à sigla. "Ontem nós oficializamos nossa ida ao Solidariedade, vamos comandar o partido no Piauí, a Dra. Marina se filiou ontem, e nós ficamos de abonar nossa ficha aqui em Teresina. Não houve entendimento com o PSL, fazer política ou construir um partido desunido é muto ruim, com certeza não íamos produzir como produzimos no PTC. Nós pegamos um partido muito pequeno, talvez o menor do país, e conseguimos colocá-lo na cena política elegendo deputados estaduais, elegendo a primeira deputada federal, elegendo prefeitos e tornando um partido de referência no Piauí. Nosso interesse era fazer isso no PSL, mas as divergências internas fizeram com que a gente desistisse. Lembrando que o nosso grupo politico recebeu um convite da direção nacional do PSL. A Dra. Marina foi convidada para comandar o partido aqui no Piauí e, como nós somos um só grupo politico, ela deveria me indicar na condição de presidente, para que pudéssemos reconstruir o partido (PSL) aqui no estado, mas diante destas divergências, das criticas até pessoais, nós decidimos ficar no Solidariedade, até mesmo pelo fato de já termos tido um entendimento e bom diálogo com o deputado Paulinho e depois de uma discussão interna no partido realmente ficarmos no Solidariedade", disse. 

O deputado demonstrou descontamento com alguns nomes do PSL local. "Quero só lembrar uma coisa, o publicitário Fábio Sérvio, por quem tenho maior respeito, quem fez a indicação para que ele pudesse entrar para vida pública e hoje pudesse militar nos partidos políticos foi eu. Foi eu quem trouxe aqui o presidente nacional do PEN, Adilson Barroso, ele iniciou no PEN e depois o PEN convidou o presidente Jair Bolsonaro para ser candidato à presidência da República, depois convidou o Fábio Sérvio para comandar o partido no Piauí, por indicação minha. E depois Bolsonaro foi para o PSL e ele acompanhou, mas isso não implica dizer que essa ligação da militância nacional não partiu de mim. Agora é importante que se diga que essas críticas de quem é esquerda e direita, isso é um rótulo envelhecido, não existe mais isso no Brasil", completou.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar