Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Ministério Público iniciará investigação após denúncias de degradação ambiental da Lagoa do Portinho

Compartilhe

Com a chegada do período chuvoso todos pensavam que a Lagoa do Portinho iria voltar a ter o seu exuberante espelho d’água, mas mesmo com as chuvas diárias que atingem a região Norte do Piauí, pouco se viu de diferença na aparência da Lagoa.

Moradores denunciam que as barragens construídas ao longo do rio tem impedido o curso da água. Segundo moradores da região, as barragens foram construídas no ano de 2006, eles relatam que a água descia de maneira constante até chegar na Lagoa do Portinho.

Morador do povoado desde que nasceu, seu Francisco nunca tinha visto a Lagoa nessa situação: “Quando a água vem, cai na barragem, e aí como é que passa? São duas barragens, se não tivesse no meio a água já era para ter ido para o rumo da Lagoa do Portinho. É agua demais, a gente pode até mergulhar que morre afogado, está tudo preso”, disse.

Conhecedor da problemática, o empresário Aluisio Soares, relata que as imagens são esclarecedoras e comprovam tudo aquilo que foi denunciado e debatido nos encontros e em audiências públicas realizadas na Câmara Municipal de Parnaíba.

“As barragens estão prejudicando. As intervenções feitas ao longo da Lagoa estão prejudicando para essa água chegar até a Lagoa do Portinho. Qualquer interferência feita na natureza sem um estudo prévio vai prejudicar”, falou. Com 30 anos trabalhando no local, Aluisio afirma que vai procurar juntamente com os moradores, o Ministério Público visando desobstruir as barragens.

Por telefone, Antenor Figueiras, promotor do Ministério Público participou do Programa Agora e fez considerações das medidas que serão tomadas em relação a Lagoa do Portinho.

“Vamos agir na abertura de um procedimento investigatório preliminar, respeitando o sigilo da investigação. Recebi hoje uma abaixo assinada e fotos demonstrando a situação, mas precisamos de pareceres técnicos para observar se o que está sendo divulgado pela mídia e as fotos realmente correspondem ao local. Acreditamos que até quinta-feira poderemos ouvir a pessoa que está sendo apontada como culpada pela degradação”, declarou Antenor Figueiras.





Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar