Um adolescente identificado como Francisco Gustavo do Amaral Sena, de 17 anos, que sofre do Transtorno do Espectro Autista (TEA) foi assassinado a facadas no município de São José do Divino. O crime ocorreu no último dia 25 de maio. 

O acusado, identificado como Lucas Gabriel Gomes Cardoso, foi preso. De acordo com informações do repórter Wendell Veras, após tirar a vida da vítima, o suspeito foi até a casa da mãe de Francisco Gustavo e chegou a confortá-la, mas a mulher percebeu que ele estava com manchas de sangue. 

Francisco Gustavo foi assassinado a facadas no Piauí - Foto: ReproduçãoFrancisco Gustavo foi assassinado a facadas no Piauí - Foto: Reprodução

Após a investigação do delegado Abimael de Sousa, a justiça determinou a prisão do acusado. Em seu depoimento, ele afirmou que tomou a arma de Francisco Gustavo para se defender e logo em seguida desferiu os golpes, mas a polícia tem imagens do criminoso comprando a arma branca em um estabelecimento comercial. 

Em depoimento para a polícia, a mãe da vítima relata como ela percebeu o sangue no corpo do acusado. “É muito ruim para você seu filho estar morto. Eu entrei em casa, parece que não tinha caído a real. Eu sentei no sofá, ele (Lucas Gabriel) sentou no outro, minha filha do outro lado, eu me levantei, peguei nos dois braços dele, gritei três vezes: ‘Lucas me diz pelo amor de Deus quem matou meu filho, tu tava esse tempo todinho na rua e tu não sabe?’”, contou ela. 

Lucas Gabriel foi preso após confortar a família da vítima depois do crme - Foto: ReproduçãoLucas Gabriel foi preso após confortar a família da vítima depois do crme - Foto: Reprodução

“Teve um momento que minha filha questionou, ‘como é que tu tava com uma camisa amarela cedo da noite e agora está com uma preta de manga comprida e capuz?’ Ele disse que é porque estava fazendo frio e foi em casa trocar de roupa. Aí nós fomos todos lá para fora, e ele todo tempo no nosso meio. Foi então que eu olhei para as pernas dele e vi dois pingos de sangue”, relatou.

Lucas Gabriel Cardoso vai responder por crime triplamente qualificado.