Uma cachorra com sinais de violência sexual foi resgatada por duas ativistas da causa animal na tarde de segunda-feira (5), na zona Leste de Teresina. A cadela, chamada Vênus Maria, estava com ferimentos na região genital e precisou de medicamentos.

A denúncia foi feita por um morador da capital às ativistas Carla e Karina, da Rede Protetora de Animais (RPA). O animal, que não possui tutor, ficava abrigado em um casa abandonada da região, onde recebia ração e água de voluntários. Segundo Carla, a cadela foi estuprada por uma pessoa em situação de rua, que ainda não foi identificada. 

O repórter Kilson Dione, da TV Meio Norte, esteve no local e registrou a revolta das ativistas. Elas cobram ações poder público municipal e atenção ao número de cães e gatos abandonados em Teresina. “Não é o primeiro cachorro que é estuprado em Teresina. Precisa realmente de pessoas que se importem com os animais porque os abrigos são poucos e estão lotados, não temos ajuda’’, disse.

Vênus Maria foi resgatada com sinais de violência (Foto: Reprodução)Vênus Maria foi resgatada com sinais de violência (Foto: Reprodução)A ativista Karine contou que está cobrando vereadores medidas para conter crimes contra animais e um censo para quantificar o número de cães e gatos violentados na capital piauiense.

“A meta agora é sensibilizar as pessoas para que nos ajude a colaborar com essa luta para que não a ignorem e acolha de qualquer maneira. Queremos que o poder público possa dar suporte às protetoras independentes porque não temos recursos para ajudar os animais de rua desse sofrimento”, disso.

Segundo as ativistas, além do estupro, os animais abandonados também estão sofrendo com casos de cinomose e tumor venéreo transmissível.