A Polícia Federal do Piauí deflagrou na última terça-feira a Operação Alavancada que teve como objetivo desarticular uma organização criminosa que praticava golpes financeiros utilizando esquema de pirâmide financeira. 

As investigações da Polícia Federal apontaram que a organização criminosa lesou cerca de 300 vítimas em Teresina, Floriano, Eliseu Martins e Brasília, no Distrito Federal. A quadrilha teria conseguido através da aplicação dos golpes a quantia de R$ 12 milhões.

Os alvos da operação são o empresário Pedro Gil da Fonseca Duarte, sua irmã Isabela Fonseca Alves Duarte e o primo Matheus da Fonseca Correia. 

Pedro Gil teve sua prisão preventiva decretada - Foto: ReproduçãoPedro Gil teve sua prisão preventiva decretada - Foto: Reprodução

Pedro teve a sua prisão preventiva decretada e os outros dois apenas temporária. O Ministério Público Federal denunciou os três pelo crime contra o sistema financeiro, além do pagamento de indenização por dano moral coletivo, no valor de R$ 14 milhões para as vítimas. 

A PF não comentou os nomes dos alvos, não é possível saber se o caso envolve os sócios Leonel Barbosa e Jonatas Micael da empresa LJ Trend que subtraiu mais de R$ 300 milhões de reais de investidores através do esquema de pirâmide financeira em Floriano, um caso que ganhou grande repercussão. 

Polícia Federal deflagrou operação e realizou as prisões - Foto: Divulgação/PFPolícia Federal deflagrou operação e realizou as prisões - Foto: Divulgação/PF