Piauiense e amiga foram vítimas de latrocínio, diz delegado

Os corpos foram encontrados por um tio de uma das vítimas.

Na terça-feira, dia 06, o local onde as jovens Bruna de Souza Torres, e Taiane de Souza Rocha, ambas de 19 anos, foram encontradas mortas foi incendiado, segundo informou o delegado responsável pelo caso, Marceone Ferreira. Bruna é natural de São Francisco de Assis do Piauí, e Taiane de Souza Rocha, de Petrolina. Elas desapareceram quando saíram para trabalhar na última segunda-feira e dias depois foram achadas sem vida. 

De acordo com o delegado, populares se revoltaram a atearam fogo no local onde os copos foram encontrados. “A população estava toda lá na hora do incêndio. Eles fizeram isso devido ao abandono da área. A vegetação estava alta e por isso colocaram fogo. Não tem relação com o autor do crime”, disse.

Local onde as joveens foram encontradas foi incendiado (Crédito: Reprodução)
Local onde as joveens foram encontradas foi incendiado (Crédito: Reprodução)

O delegado explica que o Instituto de Criminalística (IC) realizou pericia e liberou o local. “O IC já tinha liberado o local. Inicialmente eles fizeram a perícia que tinham que fazer. Mas, as vezes, eles precisam voltar para fazer um 'pente fino', uma análise mais minuciosa, ampliando a área periciada. Porém, o primordial foi feito na hora, onde foram colhidos os vestígios”, acrescentou. 

Os corpos das jovens apresentavam sinais de violência, mas não houve estupro, segundo Marceone.  A motivação do crime teria sido latrocínio (roubo seguido de morte). 

“Estamos evoluindo, a equipe está na rua e, a princípio, o estupro foi totalmente descartado. As perícias foram realizadas e deram como negativas para estupro. Estamos trabalhando na linha de latrocínio. Elas foram encontradas nuas porque as roupas que vestiam foram tiradas e cortada para amarrar as vítimas”, afirmou. 


Fonte: Com informações do G1-PE