A ansiedade é um mal que afeta grande parte das pessoas. Com a pandemia, os números aumentaram entre todas as idades. Esse transtorno vem se agravado por meio de uma série de fatores, como a rotina do dia a dia, cobranças, má alimentação, ausência de exercícios físicos, dentre outros.

Conforme o levantamento da Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 9,3% da população sofre desta doença, sendo o Brasil um dos países com a maior taxa de transtorno de ansiedade. Mas afinal, será mesmo que uma alimentação de qualidade pode ajudar a reduzir a ansiedade?

Cerca de 9,3% da população sofre de transtorno de ansiedade Cerca de 9,3% da população sofre de transtorno de ansiedade  

Uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes é capaz de agir na prevenção e no tratamento de inúmeros tipos de doenças. Um estudo realizado pelo National Library of Medicine, publicado em maio de 2020, avaliou os hábitos de vida e alimentação de pessoas em diversas partes do mundo. 

O estudo observou que o padrão alimentar saudável, caracterizado pelo consumo adequado de frutas e vegetais, grãos integrais, fontes de proteína magra, oleaginosas, além de baixa ingestão de açúcares adicionados, pode reduzir os riscos de transtornos da ansiedade.

Alimentação saudável pode reduzir os riscos de transtornos da ansiedade Alimentação saudável pode reduzir os riscos de transtornos da ansiedade 

Para a Estrategista de Emagrecimento, Maria Silva, ter um estilo de vida saudável, com uma rotina regular, prática de atividade física e uma alimentação equilibrada e variada pode sim impactar positivamente na saúde mental.

“Cada vez mais nos deparemos com notícias de que cientistas e estudiosos estão se dedicando para pesquisar de forma mais aprofundada a relação entre o que comemos com a nossa saúde mental. Precisamos destacar que uma pessoa que leva uma vida completamente desregrada, com vícios e sem nenhum exercício físico pode sim estar mais suscetível a ter algum tipo de problemas de saúde, inclusive, a ansiedade”, frisou.

Transtorno de ansiedade: saiba o poder dos alimentos para a saúde mental  - Imagem 3

Estrategista de Emagrecimento, Maria Silva, explica como os alimentos podem contribui para a saúde mental 

MAIS PESQUISAS 

Outra pesquisa, também da National Library of Medicine, destacou que uma dieta de estilo ocidental, caracterizada pela forte presença de alimentos doces e gordurosos, grãos refinados, itens fritos e processados, carne vermelha, laticínios com alto teor de gordura, além de baixa ingestão de frutas e vegetais, está associada a um maior risco de ansiedade.

Os estudos ainda são recentes, mas é preciso o alerta para a importância das escolhas saudáveis.

“Começar é o grande passo. Comece hoje a implementar uma rotina mais saudável no seu dia a dia. Seguir um plano alimentar voltado para uma alimentação mais natural, praticar atividade física e deixar de lado vícios pode deixar as pessoas mais dispostas, com a autoestima elevada, contribuir para uma boa noite de sono e influenciar diretamente na sua saúde mental”, finaliza.