O motorista de aplicativo Leonardo Meira é conhecido por realizar resgates de cobras em Teresina. Ele conta que houve um aumento no aparecimento dos animais em áreas residenciais. Na terça-feira (5) ele encontrou a popular  serpente-do-olho-de-gato-anelado (Leptodera anullatus), além de uma jiboia (Boa constrictor) nesta sexta-feira (8).

A pequena serpente olho-de-gato-anelada, popularmente chamada de "jararaca-do-rabo-fino", foi encontrada no bairro Lourival Parente, zona Sul de Teresina

Leonardo Meira resgatou uma jararaca-do-rabo-fino na terça-feira (5). Crédito: Reprodução/WhatsApp.Leonardo Meira resgatou uma jararaca-do-rabo-fino na terça-feira (5). Crédito: Reprodução/WhatsApp.

"É um animal com dentição opistoglifa, ou seja, semelhante à cobra coral. Possui uma peçonha bem pequena que não causa problemas aos seres humanos, ela usa apenas para se alimentar de anfíbios. Este animal é uma serpente que se parece muito com uma cobra peçonhenta, por se assemelhar com uma jararaca ou por ter a cabeça chata como uma naja. Ela tem essa aparência para demonstrar que é perigosa ao predador. Mas é um animal dócil que não ataca", revela Leonardo Meira.

O resgate aconteceu durante a noite. 

"Por volta de 22h da noite recebi uma ligação de um amigo que relatou que lá havia uma serpente e que ele já teria feito a contenção em um pequeno balde. Então eu fui até o local e peguei para fazer a soltura em local apropriado. Como era à noite, decidi fazer essa soltura pela manhã. E assim fiz em um local de acesso complicado e com muita vegetação", conta.

O segundo resgate foi de uma jiboia, que é bastante comum na capital. Ela foi encontrada no telhado de uma residência no bairro Deus Quer, zona Sudeste de Teresina. 

Jiboia foi encontrada na sexta-feira (8). Crédito: Reprodução/WhatsApp.Jiboia foi encontrada na sexta-feira (8). Crédito: Reprodução/WhatsApp.

"Atendi uma solicitação de uma moça, que disse que a cobra estava no forro. Tivemos que destelhar até conseguir achá-la no cantinho. Aquela região está acontecendo muitos casos de aparecimentos de cobras, porque lá é uma região com muito mato", revela.

No entanto, o aparecimento das cobras está ligado justamente ao desmatamento. Além disso, o período das chuvas também movimenta o aparecimento destes répteis.

"Com o avanço das construções e a supressão vegetal, os animais ficam cada vez mais próximos dos seres humanos. Temos uma região com muitos animais, sobretudo por estarmos entre dois rios. Há uma biodiversidade grande que convive com os seres humanos na zona urbana", analisa a bióloga Graça Arrais.

Ouvintes do programa Banca de Sapateiro, da TV Jornal e Rádio Jornal Meio Norte, também reportaram o grande aparecimento de cobras na região do Parque Brasil, zona Norte de Teresina.

A recomendação é que, ao avistar uma cobra em casa, é necessário manter distância e comunicar a Polícia Ambiental através do 190. O Ibama também pode ser acionado nestes casos. Pessoas com expertise em manejo de serpentes também podem auxiliar em situações de emergência, mas somente aqueles com treinamento específico.

Saiba mais sobre as cobras encontradas em Teresina

Tanto a serpente-olho-de-gato-anelada como a jiboia não são perigosas para os seres humanos. Essas cobras são fundamentais para a manutenção do equilíbrio das populações de diversas espécies e não devem ser eliminadas.

A serpente-olho-de-gato-anelada, a popular jararaca-do-rabo-fino, é uma cobra essencialmente americana, pois é encontrada desde os Estados Unidos até a Argentina, passando por Trinidad e Tobago e Ilha Margarita, no Caribe e também no Brasil, inclusive em Teresina, no Piauí. Ela se alimenta de rãs e pequenos répteis, como lagartixas e salamandras. 

Já a jiboia-constritora, ou simplesmente jiboia, é uma espécia de serpente grande e não peçonhenta que é frequentemente mantida e reproduzida em cativeiro, além de ser facilmente encontrada na zona urbana com faixas de áreas verdes. A jiboia é membro da família Boidae e encontrada em regiões tropicais da América do Norte, Central e do Sul, assim como em algumas ilhas no Caribe.

Veja mais imagens dos resgates