SEÇÕES

Pedro registra na polícia agressão de preparador do Flamengo no vestiário

Zagueiro Pablo, atacante Everton Cebolinha e volante Thiago Maia prestam depoimento como testemunhas

Pedro registra na polícia agressão de preparador do Flamengo no vestiário | Reprodução/Globoesporte
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

Na madrugada deste domingo, após a vitória do Flamengo sobre o Atlético-MG, Pedro registrou na polícia de Minas Gerais o incidente em que sofreu agressão. O jogador prestou depoimento sobre o caso envolvendo o preparador físico Pablo Fernández. O argentino não foi preso.

Na noite de sábado, durante a partida do Brasileirão no estádio Independência, onde o time carioca venceu o Atlético-MG por 2 a 1, ocorreu uma confusão no vestiário. O incidente aconteceu após um desentendimento durante o aquecimento, no qual um membro argentino da comissão técnica de Jorge Sampaoli acabou agredindo um atleta com um soco no rosto.

Por volta das 1h10, Pedro, acompanhado por seguranças do Flamengo, dirigiu-se ao Batalhão da Rotam (Rondas Táticas Metropolitanas da Polícia Militar) em uma van. Ao lado dele estavam Marcos Braz, vice de futebol do Flamengo, e um advogado. Paralelamente, Pablo Fernández também foi ao local em outro veículo para dar a sua versão do caso. A Rotam, responsável pela segurança no estádio, assumiu o registro da ocorrência. O caso em questão envolveu um incidente ocorrido no estádio durante o Brasileirão, onde houve um desentendimento entre membros da comissão técnica de Jorge Sampaoli e um jogador, resultando em uma agressão física. 

Logo após às 2h, os envolvidos dirigiram-se à Central de Flagrantes da Polícia Civil em outro local, a fim de complementar o registro do incidente. Pedro e Pablo foram ouvidos por um delegado, que também colheu o depoimento de quatro testemunhas: o zagueiro Pablo, o atacante Everton Cebolinha, o volante Thiago Maia e o coordenador Gabriel Andreata. Nesse momento, Marcos Braz não estava presente, enquanto o diretor executivo Bruno Spindel esteve presente durante os depoimentos. 

A delegação do Flamengo permaneceu no estádio Independência aguardando o desdobramento do caso. Devido à demora no registro das ocorrências, o grupo decidiu retornar ao Rio em um voo fretado às 3h, porém sem a presença de Pedro, Pablo Fernández, as testemunhas e alguns seguranças, que permaneceram no local para lidar com as questões relacionadas ao incidente. 

Às 3h30, Pedro finalizou o registro da ocorrência e deixou o local acompanhado pelo advogado e Bruno Spindel para se dirigirem ao Instituto Médico Legal, onde ele faria o exame de corpo de delito. O jogador havia sofrido um corte na boca durante o incidente, e a avaliação médica era necessária para documentar as lesões decorrentes da agressão.  

(Com informações do Globoesporte)



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos