Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Acusada de assassinar jovem na Lagoa do Portinho têm liberdade negada

A vítima foi atingida por pelo menos duas perfurações, uma na região do abdômen e outra na altura do peito esquerdo. Crime aconteceu em 2019.

Compartilhe

O pedido de habeas corpus feito pela defesa de Bruna Vasconcelos Carvalho, acusada de matar a jovem Gilmara Veras de Araújo, com golpes de arma branca durante festa na Lagoa do Portinho, em Parnaíba, no litoral do Piauí, foi negado pela 1ª Câmara Especializada do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI). O crime aconteceu na noite do dia 14 em julho de 2019. 

De acordo com a decisão da justiça, apesar da acusada ser réu primária, ter residência fixa e tendo bons antecedentes criminais, não lhe dá garantias de liberdade. A decisão foi publicada no Diário Oficial durante esta semana.


O caso 

Uma jovem identificada como Gilmara Veras foi assassinada a facadas após uma festa que acontecia na Lagoa do Portinho, zona rural da cidade de Parnaíba. De acordo com testemunhas, a vítima estava na companhia de três meninas e alguns rapazes, quando em determinado momento, houve uma discussão e Gilmara foi golpeada em várias partes do corpo.

A perícia criminal foi até o local e segundo o perito Chancherley Brandão foi possível identificar duas perfurações de arma branca no corpo da mulher, sendo uma na região do abdômen e outra na altura do peito do lado esquerdo. Porém, somente após a realização do exame cadavérico é que os peritos do IML chegarão na informação correta quanto ao número de lesões sofridas. 

Reprodução

De acordo com o comandante da Polícia Militar, em entrevista à Rede Meio Norte, a vítima foi golpeada por duas mulheres. “Tivemos informações via copom que houve a principio esse homicídio, ninguém sabe as motivações se vai virar feminicídio, vai ficar a cargo da polícia investigativa. O que sabemos é que havia um evento no Portinho, tinha duas equipes escaladas da Polícia Militar, tinha o motopatrulhamento, ao término do evento quando as equipes policiais se deslocaram para o quartel, recebemos o chamado às 19h30 de que havia esse episódio aqui, rumores dos curiosos é que foram duas garotas que estavam nesse evento que cometeram o crime”, afirmou.

Prisões 

Por meio de uma denúncia anônima, uma equipe da Polícia Militar, comandada pelo sargento Farlon Machado, chegou até as duas mulheres acusadas de assassinar a golpes de faca a jovem Gilmara Veras de Araújo, na Lagoa do Portinho, zona rural de Parnaíba. 

Os apreendidos na ocorrência foram Bruna Vasconcelos Carvalho, de 20 anos, Kelsiane de Araújo Miranda, de 21 anos e o namorado de Bruna, identificado como David Alisson da Cruz Sousa, de 19 anos, que após o crime deu fuga às duas mulheres em uma motocicleta Honda Pop de cor vermelha, placa PIU 4599. 

Os envolvidos foram presos em uma residência abandonada localizada no bairro São Vicente de Paula, na região conhecida como Barreiro. As duas acusadas não resistiram à prisão e confessaram o crime, alegando que agiram em legítima defesa. Bruna ainda confessou ter sido a autora das perfurações. A motocicleta utilizada na fuga também foi localizada e apreendida pela polícia.

Reprodução

LEIA MAIS:  Parentes de jovem morta na Lagoa do Portinho pedem prisão de acusada

Em sua defesa, as acusadas alegaram que possuíam uma antiga desavença com a vítima e que agiram em legítima defesa após a vítima desferir uma capacetada contra Bruna Vasconcelos Carvalho. Ao ser questionada sobre a arma utilizada no crime, a acusada alegou que sempre andava em posse da faca por possuir muitas inimigas. Após o crime, a arma foi descartada em um matagal.

Sobre o motivo que levou Bruna a assassinar sua rival, ela alegou que se sentia ameaçada por Gilmara, pois sempre que se encontravam, a vítima a encarava de forma ameaçadora. Disse ainda que preferiu matar sua inimiga do que ser morta por ela.

 


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar