Passa a valer neste sábado (18) o reajuste no valor dos combustíveis, que torna mais cara a gasolina em 5,18% e o diesel em 14,26%. Em Teresina, entre os dias 5 e 11 de junho, o preço médio da gasolina era de R$7,990, enquanto que o diesel era de R$7,344. A situação é preocupante porque deve encarecer o preço final dos produtos, inclusive da alimentação.

O anúncio do aumento no preço dos combustíveis foi anunciado na sexta-feira (17) e agora passa a valer em todo o país. O diesel não era reajustado desde o dia 10 de maio. A gasolina, no entanto, teve última alta divulgada em 11 de março. O gás natural permanece com o mesmo preço.

Gasolina e diesel mais caros. Crédito: Arquivo Meio Norte.Gasolina e diesel mais caros. Crédito: Arquivo Meio Norte.

O preço dos combustíveis foi tema de uma discussão do Conselho de Administração da Petrobras, que esteve reunido na quinta-feira para tratar do assunto.

A justificativa da Petrobras é a crise no mercado global de energia, que está em uma "situação desafiadora" por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia. Além disso, a questão da mudança rápida de preços em todo o mundo também foi levantada. Por outro lado, o brasileiro sofre, principalmente os 33 milhões que passam fome no país.

A polêmica do ICMS

O Congresso Nacional aprovou esta semana um projeto que limita a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para combustíveis, energia, gás natural, comunicações e transportes coletivos. A medida é uma das tentativas do Governo Federal para frear o preço dos combustíveis em pleno ano eleitoral. A matéria agora depende da sanção do presidente.

A medida é polêmica porque pode afetar os recursos dos estados, precarizando serviços como a saúde, educação, segurança pública e mesmo a folha dos servidores.