A concessionária Grãos do Piauí, que assumiu a gestão da rodovia Transcerrado por meio de uma parceria público-privada (PPP) com o Governo do Estado, já realizou os trabalhos iniciais para a minimizar os problemas nos segmentos não pavimentados da via, facilitando o tráfego inclusive no período de chuva. O trecho administrado por meio da PPP corresponde às rodovias PI-397 e PI-262 e passa por cidades que se destacam como rota de escoamento dos grãos produzidos no Matopiba, território que reúne os cerrados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

Os caminhoneiros que passam pela Transcerrados atualmente apontam as melhorias, destacando a redução no tempo de deslocamento e a economia com combustível. “Do ano passado até agora, já melhorou 90% a estrada. Antes, o percurso que eu fazia em 4 ou 5 horas, agora já consigo fazer em 2 horas. Melhorou muito a locomoção”, conta seu João Cruz, motorista carreteiro profissional que trafega regularmente pela PI-397.

Os principais objetivos desses trabalhos iniciais são a eliminação dos problemas emergenciais e a minimização de problemas crônicos. “Só com a manutenção que já fizeram, melhorou muito. Reduziu o percurso de 27 a 30 km que antes a gente levava o dobro de tempo para fazer, além da economia no combustível. Agora tem mais segurança; os caminhões já não quebram ou atolam com tanta frequência e podemos trabalhar mais sossegados. Ficamos muito felizes, porque essa melhoria abrange todo mundo”, complementa João Manoel, outro motorista que passa muito pela região.

Obra na rodovia Transcerrados (Divulgação)Obra na rodovia Transcerrados (Divulgação)

Serviços já atingiram o km 165 

Segundo Márcio Protta, diretor-presidente da Grãos do Piauí, os serviços já atingiram o km 165 da Transcerrados, o que representa 50% do trecho em leito natural. “Já contratamos a empresa responsável pela conservação do trecho para eliminação dos atoleiros e reconformação da plataforma. Também estamos iniciando os trabalhos de conservação vegetal, drenagem e limpeza da faixa de domínio, visando mais segurança. Contratamos ainda empresas para realização dos projetos da rodovia como as praças de pedágio, bases operacionais e balanças”, explica.

A PPP beneficiará, diretamente, a população de 25 municípios nos arredores da rodovia, onde vivem 250 mil pessoas. Os efeitos multiplicadores das melhorias na estrada abrangem ganhos econômicos, com geração de emprego e receitas orçamentárias (tributos); desenvolvimento de outras infraestruturas sociais; possibilidade de instalação de indústrias na região; além de ganhos ambientais com a recuperação de áreas degradadas.