Ex-namorado que matou dançarina será julgado dois anos após o crime

Na época, o acusado disse que estrangulou a vítima.

Na tarde desta terça-feira (05/12), o administrador Anderson Rodrigues Leitão, de 27 anos, que matou a ex-namorada, a dançarina Ana Carolina de Souza, de 30 anos, deverá ser julgado, em São Paulo dois anos após o crime. 

Segundo a polícia, o criminoso será julgado por diversos crimes, entre eles feminicídio - morte de mulher só pelo fato de ser mulher. 

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça (TJ), o júri popular vai começar às 13h no plenário 8 do Fórum Criminal da Barra Funda, Zona Oeste da capital. Em princípio, a audiência só foi reservada para esta terça.

Anderson confessou ter esganado Ana após uma discussão no dia 2 de novembro de 2015 no apartamento onde ela morava, na Zona Sul da capital. O corpo da dançarina só foi encontrado dois dias depois. O administrador foi preso em flagrante.

“Montei em cima dela e a estrangulei [esganei] com as minhas próprias mãos”, afirmou Anderson naquela ocasião, que, na verdade a esganou. Ele alegou ainda ter tentado se suicidar em seguida, tomando veneno. Atualmente está preso preventivamente na Penitenciária masculina de Tremembé, no interior paulista.

O réu também é acusado de homicídio doloso qualificado, ocultação de cadáver e furto. Além de feminicídio, as outras qualificadoras do assassinato são meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima. De acordo com a acusação feita pelo Ministério Público (MP), Anderson furtou US$ 700, 80 libras, R$ 800, celular e cartão bancário de Ana.

Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com