As chuvas em pleno mês de junho pegaram muitos teresinenses de surpresa. A previsão é que elas continuem ocorrendo, principalmente no Norte do Piauí, até julho.

De acordo com a gerente de Hidrometeorologia da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), Sônia Feitosa, apesar de ser uma transição para o fim do período chuvoso, a explicação para o fato se deve ao fenômeno La Niña e ao aquecimento anormal das águas do Oceano Atlântico.

"Só a La Niña sozinha, não ia fazer tanta chuva, mas as águas do Oceano Atlântico Sul estão mais aquecidas, fazendo com que a ZCIT ( Zona de Convergência Intertropical) com a confluência de ventos provoquem instabilidades e gerem as chuvas", explicou.

Preisão de chuva em cidades do Norte do Piauí | FOTO: DivulgaçãoPreisão de chuva em cidades do Norte do Piauí | FOTO: DivulgaçãoSegundo Sônia Feitosa, em municípios mais ao Norte do estado, como Luís Correia e Parnaíba, as chuvas devem seguir até julho.

"Normalmente, em junho, julho e agosto não há mais chuvas em Teresina, mas junho ainda chove no Norte do estado. E até julho ainda deve estar apontando chuvas no extremo Norte do Piauí, neste ano. Baseada na projeção dos modelos meteorológicos, a previsão é que as chuvas neste semestre sejam acima da média no Norte do estado, principalmente no extremo Norte", concluiu.

Barragens cheias

No boletim hidrometeorológico divulgado neste sábado (4) pela Semar, as barragens localizadas na região Centro-Norte e Norte do estado continuam sangrando. Piracuruca (em Piracuruca), Corredores (em Campo Maior), Caldeirão (em Piripiri) estão com 100% de sua capacidade. Estreito, em Padre Marcos está próximo dos 100%, com 95,2% de sua capacidade preenchida.