Relator apresenta sobre 2ª denúncia contra Temer nesta terça (10)

Ele descartou adiar parecer que está previsto para amanhã

O relator da segunda denúncia contra o presidente Temer, Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) informou que só irá entregar o parecer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na tarde desta terça-feira (10).

O relator deverá recomendar a continuidade ou a rejeições das acusações contra o presidente Michel Temer.

Segundo o relator a tarefa é "complexa" e o o prazo é apertado, mas descartou o pedido de mais um dia para que o relatório seja apresentado por ele.

“Estou enfrentando um pesado ônus. O ideal seria ter mais um dia [de prazo], mas acontece que vou me esforçar para ficar dentro dos prazos. Vou entregar amanhã [terça] na parte da tarde. A reunião está marcada para as 10h, mas estou achando apertado [o horário]. Possivelmente, vou entregar no período da tarde, umas 14h ou 15h”, disse.

O deputado Bonifácio de Andrada, relator da denúncia contra Temer (Crédito: Laio Seixas/G1)
O deputado Bonifácio de Andrada, relator da denúncia contra Temer (Crédito: Laio Seixas/G1)


Na noite desta segunda (9), o relator vai se encontrar com o presidente da comissão, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) onde acertará os detalhes sobre o horário que será feita a leitura.

Após votação, o STF decidiu por enviar a segunda denúncia contra Temer para a Câmara dos Deputados.Temer, que tem reprovação de 77% da população, segundo Ibope, enviou sua defesa na quarta-feira (4/10), para a CCJ através do advogado Eduardo Carnelós.

A segunda denúncia do presidente Temer, que é apontado em pesquisa como o presidente mais rejeitado desde a ditadura, a acusação é de organização criminosa e obstrução da justiça e foi apresentada pela Procuradoria Geral da República.

Para que o presidente da República seja investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), é preciso que, antes, a Câmara dê a autorização.

Andrada disse que passou o fim de semana debruçado sobre a denúncia elaborando o parecer. Para dar conta da leitura da análise da Procuradoria Geral da República, o relator tem contado com a ajuda de dois grupos de assessores técnicos.

“Fiz só isso no fim de semana. Estou trabalhando com duas equipes: uma equipe particular dentro da minha casa e outra equipe na Câmara”, afirmou.

Ele explicou que ainda não chegou a uma conclusão sobre como será o seu voto: se a favor ou contra o prosseguimento da denúncia.

“Não tenho ainda opinião formada, quando leio um argumento que me faz pensar de um jeito, logo leio outro que me faz mudar de opinião. A coisa é complexa”, declarou.

Segundo ele, não é possível ainda estimar quantas páginas terá o seu parecer. “Isso não posso dizer, só que vou tentar fazer resumir o máximo possível. Estou fazendo um esforço para resumir e focalizar aqueles aspectos que considero mais importantes”, disse.

Após a leitura do parecer, cada advogado de defesa poderá se manifestar na CCJ pelo mesmo tempo usado pelo relator.

Em seguida, deverá ser concedido um pedido de vista para que os deputados tenham um prazo extra para analisar o texto. Com isso, a discussão e a votação do parecer só deverão acontecer na semana que vem.

Depois de votada na comissão, a denúncia segue para a análise do plenário principal da Câmara. O processo terá continuidade no STF se receber o aval de ao menos 342 dos 513 deputados.




Fonte: G1
logomarca do portal meionorte..com