mais

Setut diz que sem ajuda da Prefeitura, sistema pode entrar em colapso

Diretor afirma que contrato garante repasses como subsídios para reparar danos da pandemia.

O transporte público de Teresina segue enfrentando dificuldades relacionadas ao financiamento, incentivo fiscal e obrigações contratuais. O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) afirma que os repasses mensais, que devem ser feitos por parte da Prefeitura Municipal, não estão sendo efetivados. Enquanto isso, Motoristas e cobradores entram no quarto dia de greve nesta quinta-feira (11).

Em entrevista ao MeioNorte.com, o Diretor do Setut, Vinicius Rufino, relata que desde o mês de janeiro os repasses não foram realizados, pois a Prefeitura questiona a legalidade das transações. O diretor afirma que o contrato garante que esses repasses devem servir como subsídios para reparar os danos que a pandemia deixou no sistema, como garantia do equilíbrio econômico.

- LEIA MAIS: Motoristas e cobradores de ônibus fecham ruas do Centro de Teresina

Foto - Raíssa Morais/ Jornal Meio Norte Foto - Raíssa Morais/ Jornal Meio Norte 

Uma planilha da Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes (GEIPOT) mostra que, em 2020, a operação do sistema de transporte urbano de Teresina custou um total de R$ 125.723.917,13, mas só arrecadou R$ 85.385.197,52. Os dados representam um déficit de R$ 40.338.719,61.

Vinicius Rufino diz que, devido ao grande desequilíbrio entre os custos de operações e à redução no número de passageiros transportados, o sistema pode entrar em colapso. "Se não houver os repasses adequados, o sistema vai se atropelar, pois o que se arrecada não é suficiente nem para os custos, nem para os salários", explica.

Em nota, o Setut afirma que segue em busca de uma negociação efetiva e uma melhor alternativa para um acordo com a categoria dos trabalhadores.

Confira a nota:

O Setut esclarece que, no momento, não há possibilidade de cumprimento total dos termos vigentes na convenção coletiva de 2019, devido ao déficit financeiro pelo qual o sistema passa e a falta de repasses previstos no contrato de concessão, descumpridos pela gestão municipal, que são essenciais para o funcionamento eficaz do sistema de transporte público. A entidade reitera que está em busca, prioritariamente, da manutenção dos postos de trabalho e consequente sobrevivência do sistema. O sindicato  segue em busca de uma negociação efetiva e uma melhor alternativa para um acordo com a categoria dos trabalhadores, a fim de que o movimento grevista seja interrompido.

Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail