A juíza Hilma Maria da Silva Lima, da 6ª Vara Criminal de Teresina concedeu prisão domiciliar para o perito criminal Francisco das Chagas Pinheiro Martins, de 64 anos, que estava preso acusado de estuprar duas crianças no condomínio em que reside em Teresina. 

No pedido, a defesa do perito alegou idade avançada, acometimento de doença grave e crônica e que Francisco das Chagas necessita de tratamento médico especializado, que não é fornecido nos presídios.

A magistrada aceitou os argumentos da defesa e acatou o pedido da conversão de prisão preventiva em domiciliar, haja vista o estado de saúde do réu. “Além de ter apresentado comprovante de emprego, novo endereço e certidão negativa de antecedentes criminais”. 

O perito terá que cumprir medidas cautelares como comparecimento em juízo sempre que intimado, não deixar a Comarca ou mudar de endereço sem prévia comunicação ao Juízo, proibição de manter contato com as vítimas ou seus familiares, além de monitoramento eletrônico. 

Perito Francisco das Chagas foi indiciado pelo estupro de duas crianças - Foto: ReproduçãoPerito Francisco das Chagas foi indiciado pelo estupro de duas crianças - Foto: Reprodução

PRISÃO

O perito Francisco das Chagas foi preso no dia 13 de maio. De acordo com o  delegado Matheus Zanatta, gerente de Polícia Especializada, durante as investigações foi levantado fortes indícios da veracidade da denúncia de abuso sexual contra o perito.

“Com relação ao inquérito policial com relação ao perito acusado de estupro, esse inquérito foi concluído. Durante as investigações foi colhido depoimentos de informações que trazem fortes indícios da veracidade dos fatos indicados no boletim de ocorrência. Foi feito extração de dados de telefone onde mostra uma dependência emocional das vítimas com relação ao acusado. O acusado encontra-se preso preventivamente e foi indicado pelo crime do estupro de vulnerável em face de duas vítimas crianças”, disse.

O delegado destacou ainda que a Polícia Civil recebeu denúncias de mães que noticiaram que as filhas tinha sido vítimas de abuso sexual praticado pelo perito. Diante disso, a DPCA abriu o inquérito policial e a prisão temporária representada contra Francisco das Chagas foi expedida pela justiça. 

Francisco das Chagas Pinheiro Martins é ex-diretor do Instituto de Identificação do Piauí.