Dados da pesquisa Amostragem realizada entre os dias 18 e 19 de junho com 301 eleitores com 16 anos ou mais das zonas urbana e rural de Teresina, evidenciam o posicionamento favorável a vacinação obrigatória contra a Covid-19 entre a população da capital piauiense

Em meio a discussão sobre o 'passaporte sanitário' no Congresso Nacional, o levantamento estatístico mostra que 81,4% dos entrevistados defendem que a vacinação deveria ser obrigatória. Neste recorte, 17,94%  dos entrevistados indicaram que a imunização contra a Covid-19 não deve ser obrigatória

 Ao todo, 0,66% dos entrevistados não souberam ou preferiram não opinar sobre a questão levantada pelo Instituto Amostragem.

Teresinenses defendem a vacina obrigatória (Foto: Tânia Rego)Teresinenses defendem a vacina obrigatória (Foto: Tânia Rego)

No recorte por sexo, 77,94% dos homens entrevistados pontuaram que a vacinação deve ser obrigatória ante 22,06% que acredita que não. Enquanto entre as mulheres, 84,24% defenderam a obrigatoriedade enquanto 14,55% acreditam que ela não deve ser obrigatória; no grupo, 1,21% não souberam ou preferiram não responder ao questionamento. 

Por faixa etária a maior defesa pela obrigatoriedade concentra-se no grupo com 60 anos ou mais, em que 90,38% defendem a obrigatoriedade ante 5,77% que não. No recorte, 3,85% não souberam ou preferiram não responder. 

Para 63,79% a vacinação está mais lenta

O Instituto Amostragem, liderado por Batista Teles, ainda questionou os entrevistados sobre a rapidez da vacinação contra a Covid-19 em Teresina. No grupo de entrevistados pelo levantamento, a maioria acredita que está mais lenta: 63,79% do total. 

Por outro lado, 27,24% dos entrevistados pontuaram que a imunização contra a doença provocada pelo coronavírus está dentro do prazo. Enquanto 8,31% acreditam que a vacinação está mais rápida

Neste recorte, 0,66% dos entrevistados não souberam ou preferiram não opinar. 

Adesão a vacinação entre os entrevistados

Entre os entrevistados, 15,28% já receberam as duas doses (Foto: Tânia Rego)Entre os entrevistados, 15,28% já receberam as duas doses (Foto: Tânia Rego)

No grupo de 301 entrevistados pelo Amostragem entre os dias 18 e 19 de junho se procurou saber quais tinham aderido à imunização e já tinham se vacinado, por pertencer aos grupos prioritários definidos pelos órgãos sanitários. 

Em tal âmbito, 32,23% dos entrevistados pontuaram que já receberam a 1ª dose do imunizante contra a Covid-19, ou seja, deram inicío ao processo de imunização

Por outro lado, 15,28% apontaram que já receberam tanto a primeira quanto a segunda dose da vacina contra a Covid-19, portanto, completando o processo de imunização. 

Por fim, 52,49% dos entrevistados pelo Instituto Amostragem pontuaram que ainda não receberam nenhuma dose contra a Covid-19. 

36,88% consideram o desempenho da FMS regular na aplicação

Na pesquisa, o Amostragem também questionou os teresinenses entrevistados sobre o desempenho da Fundação Municipal de Saúde (FMS) na aplicação da vacina contra a Covid-19. 

Neste recorte, 36,88% julgaram o desempenho do órgão municipal como regular, 36,21% consideraram bom e 12,29% avaliaram como ótimo. 

Por outro lado, 5,32% dos entrevistados entre os dias 18 e 19 de junho sinalizaram que o desempenho da FMS na aplicação da vacina é ruim; e 8,97% avaliaram como péssimo. 

O índice daqueles que não souberam ou preferiram não opinar atinge a marca de 0,33%