Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Taxista acusado de tentativa de estupro a garoto de 14 anos é liberado por falta de provas

Compartilhe

Na última terça-feira um menor de 14 anos decepou a orelha de um taxista na zona sul de Teresina e quase foi linchado pela população. A primeiro momento a informação apontava que o caso envolvia uma tentativa de assalto, porém o Conselho Tutelar apura que houve tentativa de estuprar o menor, e para escapar do assédio, o garoto reagiu ferindo o taxista.

Agora a família do garoto de 14 anos acusa o taxista de tentativa de estupro, já o taxista afirma que foi alvo de um assalto. A polícia ouviu o Conselho Tutelar e o taxista envolvido no caso, mas ele foi liberado por falta de provas.

Familiares do menor estão abalados, a avó que cuida do garoto permanece em estado de choque. Com medo de represálias e temendo a exposição, ela prefere não ser identificada.

“Ele nunca tinha pegado taxi sozinho, essa história está muito estranha, porque ele vinha da escola e poderia ter pegado esse carro no Parque Piauí, e esse taxista que diz que pegou uma corrida, porque ele não o trouxe pra casa? Ele foi levado para uns lugares estranhos, o menino ainda tentou correr, mas não conseguiu. A justiça de Deus eu sei que existe”, disse a avó do garoto em prantos.

O pai do garoto afirma que ele tem deficiência mental e que é sempre acompanhado por profissionais da saúde. Ele disse ainda que teve informações sobre o taxista estar relacionado a outras tentativas de estupro.

“Como ele disse desde o começo que não houve relação, que ele foi obrigado a fazer sexo oral, o próprio policial que estava nos acompanhando falou que não constava mesmo relação. Só pelo relato dele, o taxista poderia se dar bem. A criança está super abalada, ele não quer nem comer, nem ir para a escola”, disse o pai. A versão relatada pelo menor de idade é contestada pelo advogado do taxista, o acusado foi liberado pela justiça por não haver provas para acusação.

“O taxista foi liberado imediatamente porque não foi comprovado nada que o acusasse. Tudo isso não passa de invenção desse adolescente, o taxista tem, a ficha limpa, é um pai de família e uma pessoa de bem”, disse Rafael Machado.

Na Cooperativa onde o taxista trabalha, o diretor apresentou or relatório do monitoramento do veículo, que mostra que toda a ação durou cerca de oito minutos. “A prova é de que o nosso motorista anunciou que estava com problemas oito minutos depois”, disse Everardo Fontenele, presidente da Cooperativa.

Segundo a Conselheira Tutelar que acompanha o caso, Rosa Helena, o menor manteve a versão inicial da história.


Image title

Image title

Image title


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar