Não é o primeira, é a 24ª suposta vítima a denunciar quarterback do Cleveland Browns, Deshaun Watson, de 26 anos. Dessa vez foi um massagista que entrou com ação civil contra o jogador americano. 

É mais uma suposta vítima a procurar as autoridades dos Estados Unidos para contar casos de assédio e má conduta sexual desse atleta que faz parte da NFL.Segundo o jornal "New York Post" que levou a público o caso trazendo detalhes do processo nesta segunda-feira(6). 

Watson é acusado de ejacular em massagista -  Nick Cammett/ AFP Watson é acusado de ejacular em massagista -  Nick Cammett/ AFP 

Mastubar e ejacular

Consta no processo que Watson está sendo acusado de se masturbar e ejacular de uma maneira não consensual em uma mulher. Ela é massagista e fazia massagem nele, no apartamento dela, em agosto de 2020.

"No início da sessão, Watson não queria usar a toalha grande que normalmente é usada em uma massagem. Em vez disso, pediu uma toalha pequena. Também insistiu em iniciar a massagem com ele deitado de bruços", conta a massagista no processo.

 jogador já foi denunciado por outras vítimas -  Nick Cammett / Nick Cammett/AFP  jogador já foi denunciado por outras vítimas -  Nick Cammett / Nick Cammett/AFP 

"Watson lembrou que só queria que ela se concentrasse na parte superior do corpo e no abdômen. Ele então exigiu que ela trabalhasse na parte interna das coxas e no quadríceps", continua o documento.

"Enquanto ela tentava se concentrar em completar a massagem, em algum momento, Watson teve uma ereção(...). Watson então começou a se masturbar", detalha o processo.

"Ela imediatamente interrompeu a massagem(...). Watson ejaculou rapidamente; parte atingiu o peito e o rosto dela", diz o documento.

Pedido de desculpas

A massagista teria corrido imediatamente para o banheiro, para se limpar. De acordo com ela, não houve pedido de desculpas. Ele se vestiu e lhe enviou US$ 150 por meio de um aplicativo de pagamento. A mulher abandonou a massagem terapêutica logo após o suposto incidente.

Watson e seus advogados negaram repetidamente que qualquer atividade sexual não consensual tenha ocorrido nessas massagens.