A Segunda Câmara do Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu manter inalterada a condenação do ex-procurador Deltan Dallagnol. Ele irá ressarcir os cofres públicos pelo dinheiro gasto pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba (PR) com diárias e passagens. A decisão foi nesta terça-feira.

O procurador João Vicente Romão, também condenado neste mesmo processo, os ministros decidiram aceitar o recurso. Ele não vai mais precisar ressarcir os cofres públicos. Também não vai mais precisar pagar multa individual de R$ 200 mil.

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot foi outro condenado no processo e também apresentou recurso, que ainda não foi julgado.

Deltan Dallagnol terá que ressarcirr cofres públicos - Marcelo Camargo Agência BrasilDeltan Dallagnol terá que ressarcirr cofres públicos - Marcelo Camargo Agência Brasil

Condenação

No início de agosto, a Segunda Câmara do TCU decidiu condenar Dallagnol, Janot e Romão ao ressarcimento os cofres públicos em R$ 2,8 milhões pelo dinheiro gasto pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba com diárias e passagens. O ressarcimento é solidário, ou seja, dividido entre eles. Os três ainda foram condenados ao pagamento de multa de R$ 200 mil, cada.