Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Itaueira: Secretário de obras da cidade e empresário seguem foragidos

O Prefeito Quirino Avelino foi preso e será monitorado por tornozeleira.

Compartilhe

O secretário de obras de Itaueira, Gaston de Sousa Cavalcante e o empresário Edivá de Sousa Cavalcante, alvos da Operação Perpetuatio, ainda permanecem foragidos, segundo o Ministério Público do Estado do Piauí, que atua através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPPI) na cidade.

Os mandados foram expedidos pelo Tribunal de Justiça do Estado do Piauí no âmbito da operação, que apura três fatos criminosos envolvendo desvios de recursos públicos, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Prefeitura Municipal. Até o momento, foi realizada apenas a prisão do empresário Jeremias Pereira da Silva. Quirino Avelino (PTB), que era considerado foragido da Justiça, foi preso no último sábado, 26 de setembro e encontra-se internado em um hospital particular da capital. Diligências estão sendo realizadas no sentido de efetuar a prisão dos demais envolvidos.

Quirino Avelino foi preso (Reprodução)

O GAECO também deu cumprimento ao Mandado de Afastamento do gestor Quirino de Alencar Avelino do cargo de Prefeito Municipal de Itaueira, tendo sido notificado o Presidente da Câmara Municipal para dar posse imediata ao vice-Prefeito do Município, para continuidade das atividades da cidade.


Pedido de prisão domiciliar

O Ministério pediu a conversão da prisão temporária em prisão preventiva de Jeremias Pereira da Silva, Gaston de Sousa Cavalcante e Edivá de Sousa Cavalcante, bem como a prisão preventiva. O desembargador Joaquim Dias de Santana Filho, do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, deferiu o pedido de conversão da prisão preventiva em prisão domiciliar requerida pela defesa do Prefeito afastado de Itaueira, Quirino Avelino, e do empresário Jeremias Pereira da Silva, haja vista se encontrarem no grupo de risco para a covid-19 e com comorbidades comprovadas nos autos.

Gaeco durante operação em Itaueira (Divulgação)

Medidas

Diante disso, foram impostas a ambos as medidas de: recolhimento domiciliar em tempo integral, após a alta hospitalar; possibilidade de ausentar-se da residência apenas para tratamento médico e, ainda assim, acompanhado de força policial; justificação quinzenal de suas atividades, a ser feita mediante petição apresentada por seus advogados; apresentação de atestado médico sobre sua saúde; proibição de acesso a locais pertencentes à Administração Pública, direta ou indireta, exceto hospitais e postos de saúde em caso de necessidade; não manter contato com os demais acusados; uso de tornozeleira eletrônica e não se ausentar da comarca sem prévia comunicação ao juízo.

 


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar