Após deter os dois suspeitos de terem esfaqueado o jornalista Gabriel Luiz, da TV Globo em Brasília, na noite de quinta-feira (14/4), a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) confirmou que o crime se tratou de uma tentativa de latrocínio. Em entrevista coletiva concedida na noite desta sexta-feira (15/4), o delegado Petter Fischer Ranquetat, da 3ª DP (Cruzeiro), disse que José Felipe Leite Tunholi , 19 anos, e seu comparsa de 17 viram no jornalista uma potencial vítima e decidiram assaltar.

Quando se aproximaram de Gabriel, o menor aplicou um golpe mata-leão – que consiste em apertar o pescoço da vítima com os braços -, enquanto José Felipe desferiu ao menos 10 golpes com arma branca. A dupla fugiu levando o celular e a carteira com R$ 250. Depois eles retiraram o dinheiro e descartaram os objetos na rua. “Eles não conheciam o Gabriel. Só depois viram quem era a vítima e a repercussão do caso. O maior fez planos de fugir para Paracatu (MG), mas conseguimos evitar e detê-lo”, ressaltou Petter. Para fugir, José teria pego 550 euros da mãe.

Jornalista Gabriel Luiz recebeu “mata-leão” antes de ser esfaqueado- Foto: ReproduçãoJornalista Gabriel Luiz recebeu “mata-leão” antes de ser esfaqueado- Foto: Reprodução

Outro delegado que participou do caso, Douglas Fernandes, informou que o jovem e o adolescente não têm antecedentes criminais. O menor mora no Sudoeste, e o maior, no Cruzeiro. “Eles falaram que usaram muita droga e decidiram cometer um assalto. O menor, inclusive, foi esfaqueado pelo maior acidentalmente enquanto segurava o Gabriel. Ele foi para o hospital e depois a mãe de um amigo dele decidiu registrar ocorrência policial, porque ele mentiu dizendo que havia sido vítima de um assalto. Nós desconfiamos, porque seria raro dois crimes muito parecidos na mesma região terem ocorrido praticamente no mesmo horário. Percebemos que ele estava mentindo”, explicou.

O crime ocorreu por volta das 23h20. Gabriel Luiz voltava para casa quando foi seguido pelos dois suspeitos. Eles o cercaram e desferiram cerca de 10 golpes. A agressão só parou porque um vizinho viu a cena e gritou.