O ministro das Relações Exteriores de Taiwan, Joseph Wu, afirmou que a China está se preparando para invadir a ilha. Segundo ele, os alegados exercícios militares ao redor da ilha são, na verdade, uma preparação para a invasão.

“A China usou os exercícios em seu manual militar para se preparar para uma invasão de Taiwan”, disse Wu em entrevista coletiva, nesta terça-feira (9/8).

Ministro de Taiwan diz que a China se prepara para invadir a ilha - Imagem 1

De acordo com o ministro, as autoridades chinesas estão usando a “coerção econômica, ataques cibernéticos e lançamento de mísseis” com o intuito de “enfraquecer Taiwan” publicamente.

“A China está claramente tentando dissuadir outros países de interferir em sua tentativa de invadir Taiwan. Em outras palavras, a real intenção por trás desses exercícios militares é alterar o status quo no Estreito de Taiwan”, disse Joseph Wu.

As imagens foram feitas em Pingtan, província de Fujian, que fica a cerca de 150 km da principal ilha de Taiwan. As manobras chinesas afetaram 900 voos e rotas de navios na região.

As atividades incluem disparos com munição real nas águas e no espaço aéreo. Entre os 11 mísseis lançados, cinco atingiram o mar no Japão, conforme a imprensa local.

Tensão

A viagem de Pelosi foi vista como uma provocação dos Estados Unidos à China, já que Pequim considera a ilha como parte de seu território. O caso provocou uma das maiores crises diplomáticas recentes.

Na terça (2/8), o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China declarou, em nota, que a visita da presidente da Câmara é “uma violação severa do princípio de Uma Só China e das estipulações dos três comunicados conjuntos China-EUA”. “Todos esses atos são muito perigosos. É como se brincassem com o fogo, e quem brinca com o fogo acaba se queimando”, alertou.