O Ministério Público do Piauí apresentou denúncia contra Paulo Alves dos Santos Neto, acusado de matar a ex-namorada Aretha Dantas em maio passado com 20 facadas em Teresina.

Para o promotor Benigno Filho, do Núcleo das Promotorias do Tribunal do Júri, existem provas que levam a um crime de homicídio triplamente qualificado, incluindo o feminicídio.

O ex-namorado já havia sido indiciado por por homicídio duplamente qualificado na condição de feminicídio e por meio cruel, a segunda qualificação pode ser comprovada através do exame do Instituto de Medicina Legal - IML que comprovou que após ela ter sido esfaqueada foi atropelada duas vezes.

Aretha Dantas (Crédito: Divulgação)
Aretha Dantas (Crédito: Divulgação)

Aretha Dantas era cabeleireira, tinha 32 anos de idade e namorou com Paulo por cerca de 1 ano. Segundo a polícia, durante esse período a vitima sofria agressões físicas e psicológicas.

Se condenado pelo homicídio duplamente qualificado, Paulo Neto pode pegar de 20 a 30 anos de prisão mas, essa possibilidade pode ser mudada se a justiça for favorável ao pedido da defesa de que seja realizado um exame de sanidade mental, Paulo Neto pode mudar a sua pena, de uma reclusão para internação em um manicômio penitenciário ou ser absolvido do crime.