O Tribunal de Justiça do Piauí (TJPI) é o quinto tribunal mais transparente do país. É o que diz o resultado preliminar do Ranking da Transparência do Poder Judiciário, divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) nesta terça-feira (14).

De acordo com o ranking, o TJPI possui 99,04% do percentual exigido de transparência. No ano passado, o Tribunal de Justiça do Piauí estava na 67ª posição do ranking e em 2022 subiu sessenta e duas posições.

Entre os tribunais de justiça do Brasil, o TJPI fica atrás somente do TJAP. Na classificação geral, é o quinto tribunal do país na classificação. O objetivo do ranking é estimular os órgãos do Judiciário a disponibilizarem suas informações de forma mais clara e padronizada à sociedade, tornando mais fácil e transparente o acesso aos dados de gestão.

O presidente do TJPI, desembargador Oliveira, pontua que o avanço no ranking se deve ao trabalho de magistrados (as), servidores (as), estagiários (as) e terceirizados (as) que fazem o Judiciário piauiense.

“Os gestores da administração da Justiça do Piauí são os responsáveis por esse avanço, pois entenderam e praticaram o principal requisito de governança e gestão pública que é a transparência”, frisa o desembargador.

Tribunal de Justiça foi avaliado como o quinto mais transparente do Brasil (Divulgação)Tribunal de Justiça foi avaliado como o quinto mais transparente do Brasil (Divulgação)

Prestação jurisdicional eficiente

Ainda de acordo com o presidente do TJ-PI, o resultado de 99,04% de transparência é reflexo de todo o trabalho exercido pelas equipes que realizam a prestação jurisdicional cada vez mais eficiente no tribunal piauiense.

“Estar entre os cinco tribunais do país que mais exercem a transparência é motivo de alegria e satisfação para todos nós, sobretudo, uma sensação de pertencimento a um órgão que realiza as suas atividades balizado no total comprometimento com a sociedade”, ressalta o desembargador José Ribamar Oliveira.

Esta é a quinta edição do Ranking da Transparência e, em 2022, a novidade é a implementação do prêmio por categoria, conforme o segmento da Justiça. 

Os itens sob avaliação estão distribuídos em dez temas, com 84 perguntas que buscam identificar, por exemplo, se os órgãos do Judiciário publicam: os objetivos estratégicos, metas e indicadores; os levantamentos estatísticos sobre a atuação do órgão; o calendário das sessões colegiadas; a ata das sessões dos órgãos colegiados; o campo denominado “Serviço de Informações ao Cidadão” na página inicial; informações sobre licitações e contratos; entre outros.